Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Importação de gás do Catar fracassou, diz ex-chanceler alemão

© AFP 2022 / John Macdougall Ex-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, durante coletiva de imprensa sobre a iniciativa de libertar o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, preso no Reino Unido, 6 de fevereiro de 2020
Ex-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, durante coletiva de imprensa sobre a iniciativa de libertar o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, preso no Reino Unido, 6 de fevereiro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 06.08.2022
Nos siga noTelegram
As políticas energéticas do governo alemão "estão deixando os consumidores loucos", escreveu na sua conta no Twitter o ex-ministro das Relações Exteriores e ex-vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, ao comentar a cooperação com o Catar no que diz respeito ao fornecimento do "combustível azul".

"A cooperação com o Catar na área do gás fracassou, já que a Alemanha, além de não querer abdicar rapidamente da energia atômica e do carvão, também não quer abandonar o gás, apesar de não possuirmos bastantes fontes de energia renovável a longo prazo. Depois, compramos um gás muito caro no mercado à vista, que deixa os consumidores loucos", comentou Gabriel a publicação da edição Focus, que mais uma vez comunicou que a Alemanha não tinha alcançado com o Catar quaisquer acordos sobre fornecimento de gás.

Anteriormente, o tabloide Bild escreveu que o governo alemão não tinha conseguido responder à pergunta sobre o estado atual do chamado acordo com o Catar sobre o fornecimento de gás. A edição citou a declaração do Ministério das Finanças alemão, de acordo com a qual "as empresas é que são responsáveis pelo estabelecimento de prazos e valor de possíveis fornecimentos de gás", por isso "o governo federal não pode comentar".
O chanceler alemão, Olaf Scholz, durante coletiva de imprensa em Berlim, 3 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 06.08.2022
Panorama internacional
Devido à escassez de energia, Alemanha pode vir a registrar protestos em massa, diz ARD
O ministro da Economia e Proteção Climática, vice-chanceler Robert Habeck, visitou o Catar em março, tendo fechado o acordo de parceria no campo energético, que estabelece a cooperação nas esferas de energias renováveis, eficiência energética e GNL (gás natural liquefeito). A respectiva declaração foi assinada em maio. Habeck afirmou que o documento foi "um passo importante no caminho para a maior independência do gás russo".
Segundo a agência Reuters, durante as negociações entre a Alemanha e o Catar surgiu uma discordância sobre as condições dos contratos de fornecimento de GNL a longo prazo. Trata-se das exigências do Catar de assinar acordos para o prazo mínimo de 20 anos, proibindo a Alemanha de transportar o gás para outros países europeus.
A Alemanha enfrenta um possível colapso energético nos últimos meses deste ano, no inverno europeu, por causa dos cortes no fornecimento do gás russo. O ministro da Economia Habeck e o chefe da Agência Federal das Redes, Klaus Muller, apelaram várias vezes para os cidadãos alemães limitarem o consumo de energia. O jornal de negócios alemão Handelsblatt apresentou um estudo no sábado mostrando que a Alemanha poderia renunciar ao gás da Rússia se cortasse 210 terawatts-hora de eletricidade.
Apartamentos e casas residenciais aquecidas com gás são em Frankfurt, Alemanha, 12 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Panorama internacional
Sem gás russo, indústria alemã vai entrar em colapso, diz The Telegraph
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала