Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Venezuela usa cartas da rainha Elizabeth para tentar reaver US$ 1 bi em ouro preso em banco

© AFP 2022 / Kisty O'ConnorA rainha britânica Elizabeth II assina um livro de visitas durante uma visita para inaugurar oficialmente o novo prédio do Thames Hospice em Maidenhead, Berkshire, em 15 de julho de 2022
A rainha britânica Elizabeth II assina um livro de visitas durante uma visita para inaugurar oficialmente o novo prédio do Thames Hospice em Maidenhead, Berkshire, em 15 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Nos siga noTelegram
Autoridade venezuelana acredita que através de cartas enviadas pela rainha Londres reconhece o governo de Nicolás Maduro e pode assim pleitear o montante bilionário preso no Banco da Inglaterra.
Há um longo tempo a Venezuela luta para reaver mais de US$ 1 bilhão (R$ 5,19 bilhões) em ouro armazenado junto ao Banco da Inglaterra. A saga teve um episódio negativo na semana passada quando um juiz na capital britãnica negou novamente o controle do ouro ao governo Maduro, segundo O Globo.
Entretanto, Caracas tem cartas que teriam sido assinadas pela rainha Elizabeth II para reforçar sua reivindicação. A correspondência diplomática seria prova de que o Reino Unido reconheceu Nicolás Maduro como presidente da Venezuela, disse Calixto Ortega, presidente do Banco Central do país sul-americano citado pela mídia.

"Três cartas assinadas pela rainha constituem uma posição oficial", disse a autoridade em Paris ao retornar a Caracas de Londres, onde discutiu o assunto com seus advogados.

Além disso, a emissão de vistos britânicos para autoridades venezuelanas também fortalece a posição do governo, acrescentou o presidente do BC.
Segundo a mídia, Ortega mostrou duas cartas que teriam sido assinadas pela rainha em junho, na qualidade de rainha de São Vicente e Granadinas. Na primeira carta, ela o notifica sobre uma mudança no representante do país caribenho que fica em Caracas, enquanto na segunda pede que Maduro credencie um novo.
Barras de ouro empilhadas em cofre na Casa da Moeda dos Estados Unidos, Nova York (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Panorama internacional
'Seguem com mentalidade colonialista': Reino Unido busca ficar com ouro da Venezuela, diz deputado
Em outra carta, a rainha escreveu a Maduro em nome do governo de Santa Lúcia. Todas as três cartas são endereçadas à "Sua Excelência Nicolás Maduro Moros Presidente da República Bolivariana da Venezuela".
As correspondências foram entregues a Ortega pelo ministério das Relações Exteriores da Venezuela e agora a autoridade com sua equipe jurídica deve decidir nova estratégia já na próxima semana, enquanto prepara recorrer da decisão. De acordo com o jornal, o governo de Maduro vê a decisão do tribunal como "enormes consequências" para outros países com ativos no sistema financeiro do Reino Unido.
“É a reputação de Londres como o lugar mais neutro e confiável para fazer negócios em todo o mundo que está em jogo aqui. Eles dizem algo no tribunal e, na prática, se comportam de maneira diferente", afirmou.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала