Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Kiev não vai realizar contraofensiva este ano por não ter armas suficientes, diz Financial Times

© AP Photo / Efrem LukatskyPresidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, durante coletiva de imprensa com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, em Kiev, 20 de abril de 2022
Presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, durante coletiva de imprensa com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, em Kiev, 20 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Nos siga noTelegram
A Ucrânia não espera receber armas suficientes dos países do Ocidente para planejar a operação de contraofensiva no ano corrente, comunica a edição britânica Financial Times.

"Os nossos planos principais serão realizados já no ano que vem, quando acumularmos uma reserva de armas", cita o jornal as palavras de um funcionário público ucraniano.

Segundo o político ucraniano, que falou sob anonimato, agora as tropas ucranianas possuem menos de 30% do armamento necessário.
Em meio à operação militar para libertar o Donbass, os países ocidentais seguem inundando a Ucrânia com armas. Assim, o secretário de imprensa do Departamento de Defesa norte-americano, John Kirby, comunicou no início desta semana que os EUA vão fornecer a Kiev munições para armas de artilharia e lançadores de foguetes no quadro do mais recente pacote de ajuda militar de 550 milhões de dólares (R$ 2.9 bilhões).
Moscou tem repetidamente declarado que, ao fornecer armas à Ucrânia, os países da OTAN apenas prolongam o conflito. O chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, afirmou em março que qualquer carregamento que contenha armas para a Ucrânia se tornaria um alvo legítimo para os militares russos. Por sua vez, o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, comentou que a entrega massiva de armas à Ucrânia não favorece as negociações russo-ucranianas, tendo um efeito contraproducente.
Vladimir Zelensky, presidente ucraniano, vai a reunião com Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA (fora da foto), em Kiev, Ucrânia, 1º de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.08.2022
Panorama internacional
Zelensky acusa UE de atrasar artificialmente mais de US$ 8 bilhões em apoio financeiro à Ucrânia
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала