Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Fornecimento do gás através da Ucrânia não pode substituir Nord Stream, diz ministro canadense

© Sputnik / Dmitry Lelchuk / Abrir o banco de imagensSistemas de tubulação e válvulas de corte na estação receptora de gás do gasoduto Nord Stream, Lubmin, Alemanha
Sistemas de tubulação e válvulas de corte na estação receptora de gás do gasoduto Nord Stream, Lubmin, Alemanha - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Nos siga noTelegram
Os volumes de fornecimento de gás através da Ucrânia não podem compensar o fornecimento através do gasoduto Nord Stream, afirmou o ministro dos Recursos Naturais canadense, Jonathan Wilkinson, citado pela agência de notícias Bloomberg.

"É que o fornecimento à Alemanha que, como se espera, vai ser efetuado através dos gasodutos russos que atravessam o território da Ucrânia, vai ser significativamente menor", disse o ministro ao discursar perante o comitê parlamentar responsável pelo destino da turbina do Nord Stream.

O ministro acrescentou que a decisão tinha sido acordada com os aliados da OTAN.
A embaixadora ucraniana no Canadá, Yulia Kovaliv, por sua vez, contestou a declaração de Wilkinson. Segundo a diplomata, atualmente através do território ucraniano está sendo efetuado um fornecimento superior aos volumes do gasoduto que contorna a Ucrânia.
Ao comentar a decisão do Canadá de enviar para a Alemanha a turbina reparada do Nord Stream, Wilkinson afirmou que a Alemanha corre o risco de enfrentar um déficit do gás caso se limite a receber gás através do território ucraniano, tal como Kiev insiste.
Bandeira do Canadá (imagem de referência) - Sputnik Brasil, 1920, 04.08.2022
Panorama internacional
Canadá diz que não iniciou 'caçada' para encontrar fonte de vazamentos na embaixada em Kiev
O Nord Stream, a principal rota de fornecimento de gás da Rússia à Europa, funciona com restrições desde meados de junho. Desde essa data, o gasoduto opera a 20% da capacidade total diária, que é de 170 milhões de metros cúbicos.
A Gazprom, a maior empresa exportadora de gás natural do mundo, explica o fato por dificuldades técnicas de manutenção e atrasos na devolução das turbinas Siemens da estação compressora Portovaya após seu reparo no Canadá. Tem havido dificuldades no retorno da turbina do Canadá, já que o país impôs sanções contra a Gazprom. As autoridades canadenses permitiram apenas o transporte da turbina para a Alemanha em 10 de julho, não obstante as disposições do contrato em vigor. Para que o equipamento seja enviado à Rússia, é preciso obter permissão das autoridades da União Europeia e do Reino Unido.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала