Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Diplomata chinês aponta para o envolvimento dos EUA nas situações da Ucrânia e de Taiwan

© Reprodução/Instagram/Nancy PelosiNancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, em viagem pela Ásia
Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, em viagem pela Ásia - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Nos siga noTelegram
O embaixador chinês na França, Lu Shaye, disse que tanto a crise ucraniana quanto a de Taiwan estão se intensificando com a participação direta de Washington.

"Os EUA querem colocar lenha na fogueira no estreito de Taiwan para criar outra crise além da ucraniana", disse Lu Shaye no canal de notícias francês LCI nesta sexta-feira (5).

O embaixador chinês enfatizou que a maioria das nações em desenvolvimento não está participando do regime de sanções contra a Rússia e não concorda com os EUA e seus aliados.
Washington também está perdendo sua influência na região Ásia-Pacífico, disse Lu Shaye, acrescentando que esta é a razão pela qual os Estados Unidos querem desestabilizar a situação no estreito de Taiwan.
Ex-chanceler Celso Amorim em sua residência no Rio de Janeiro, em 28 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Notícias do Brasil
Ucrânia: OTAN precisa de inimigos para existir e Rússia se sente eleita para isso, diz Celso Amorim
Mais cedo nesta sexta-feira (5), o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e seus colegas do Japão e da Austrália emitiram uma declaração conjunta após uma reunião à margem da 55ª cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) em Phnom Penh, pedindo à China que suspenda os exercícios militares.
A China lançou um exercício militar em larga escala no leste do Estreito de Taiwan em resposta à visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, a Taipei nesta semana.
Pelosi, que ignorou as repetidas advertências de Pequim, é a mais alta autoridade dos EUA a ir a Taiwan em 14 anos.
O Ministério das Relações Exteriores da China disse na sexta-feira que a China imporá sanções a Pelosi e seus parentes próximos por causa de sua visita provocativa a Taiwan, que desferiu um sério golpe no princípio de Uma Só China e colocou em risco a paz e a estabilidade no estreito de Taiwan.
O ex-presidente dos EUA Donald Trump fala na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), em 26 de fevereiro de 2022, em Orlando, na Flórida - Sputnik Brasil, 1920, 03.08.2022
Panorama internacional
'Crazy Nancy': Trump chama Pelosi de louca por visitar Taiwan
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала