Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Austrália chama exercícios de mísseis balísticos da China de 'desestabilizadores'

© AFP 2022Míssil sendo disparado durante exercício militar na China em 4 de agosto de 2022
Míssil sendo disparado durante exercício militar na China em 4 de agosto de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Nos siga noTelegram
A ministra das Relações Exteriores da Austrália criticou os exercícios militares da China realizados após a visita de Nancy Pelosi a Taiwan, que vê como ameaça à região e ao "nosso parceiro estratégico próximo, o Japão".
Penny Wong, ministra das Relações Exteriores da Austrália, disse na sexta-feira (5) que Camberra continua "profundamente preocupada" com os exercícios de mísseis balísticos realizados pelo Exército de Libertação Popular (ELP) da China em torno de Taiwan em resposta à visita a Taiwan de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA.
"Estes exercícios são desproporcionais e desestabilizadores. Este é um assunto sério para a região, incluindo para nosso parceiro estratégico próximo, o Japão", disse ela em uma declaração.
Tanto o Japão quanto a Austrália fazem parte do grupo Quad, integrado também pelos EUA e a Índia. Camberra vê o Quad como um "pilar-chave" de sua política externa. Nesta sexta-feira (5) o Japão enviou jatos de combate às ilhas Sakishima depois que drones chineses se aproximaram do território japonês.
Caça F-35 de última geração no Japão - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Panorama internacional
Japão envia jatos de combate às ilhas Sakishima após aproximação de drones da China
Wong disse que transmitiu as preocupações de Camberra sobre a "escalada da atividade militar" e "riscos de erro de cálculo" ao seu homólogo chinês Wang Yi durante a reunião da Cúpula do Leste da Ásia (EAS, na sigla em inglês) realizada no início da sexta-feira (5) em Phnom Penh, Camboja. A EAS inclui ainda como participantes os EUA, Índia, Rússia e os dez membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN, na sigla em inglês).
Apesar de não apoiarem diretamente a visita de Pelosi a Taipé, Wong e Antony Albanese, primeiro-ministro da Austrália, afirmaram que a questão diz respeito somente aos EUA. Ao mesmo tempo, Camberra garantiu que quer a "paz" na região e laços "positivos" com Pequim baseados na lei internacional.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала