Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Anistia Internacional afirma que táticas de combate ucranianas colocam civis em risco

© AP Photo / Felipe DanaMilitares do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU, na sigla em ucraniano) entram em prédio durante operação para prender supostos colaboradores russos em Carcóvia, na Ucrânia, em 14 de abril de 2022
Militares do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU, na sigla em ucraniano) entram em prédio durante operação para prender supostos colaboradores russos em Carcóvia, na Ucrânia, em 14 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.08.2022
Nos siga noTelegram
O grupo de direitos humanos da Anistia Internacional disse que as táticas de combate das forças ucranianas estavam colocando civis em perigo. O alerta da organização foi feito na quarta-feira (3).
De acordo com a ONG de direitos humanos, as forças ucranianas estão montando bases militares em áreas residenciais, incluindo escolas e hospitais, além de lançar ataques de territórios povoados.
"Documentamos um padrão de forças ucranianas colocando civis em risco e violando as leis da guerra quando operam em áreas populosas... Estar em uma posição defensiva não isenta os militares ucranianos de respeitar o direito internacional humanitário", disse a secretária-geral da Anistia Internacional, Agnès Callamard.
O presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, responde a perguntas da mídia durante coletiva de imprensa em um metrô de Kiev sob uma praça central, Ucrânia, 23 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.08.2022
Panorama internacional
Zelensky apela por conversas diretas com o presidente chinês Xi Jinping sobre conflito na Ucrânia
A nota acrescenta que é preciso mitigar danos a civis.

"Todas as partes em um conflito devem sempre distinguir entre objetivos militares e objetos civis e tomar todas as precauções possíveis, inclusive na escolha de armas, para minimizar os danos civis", acrescentou a Anistia Internacional.

Na quarta-feira (3), mais de 25 mil pessoas foram retiradas da Ucrânia para a Rússia por meio de corredores humanitários organizados por Moscou.
Escavadeira escava local de sepultamento de civis mortos em Mariupol, em 6 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 03.08.2022
Panorama internacional
Ucrânia espalhou lançadores de foguetes em escola e hospital infantil
Desde 2 de fevereiro, quase 51 mil toneladas de ajuda humanitária foram entregues pelo Kremlin a civis ucranianos.
Os países ocidentais impuseram sanções a Moscou depois que a Rússia anunciou sua operação militar especial na Ucrânia, em 24 de fevereiro.
O presidente Vladimir Putin enfatizou que a operação visa desnazificar e desmilitarizar a Ucrânia e pôr fim ao conflito travado por Kiev há oito anos em Donbass.
Apenas alvos militares estão sob a mira das Forças Armadas da Rússia.
Os militares russos também organizam corredores humanitários para a população civil que foge da violência dos neonazistas e nacionalistas.
Como reflexo da decisão russa, as nações ocidentais aplicaram diversas baterias de sanções contra a Rússia, que resultaram em um grande aumento nos preços dos combustíveis, com os custos do gás e do carvão atingindo níveis recordes e forçando os países europeus a concordar com um acordo de redução de gastos de gás.
Ex-chanceler Celso Amorim em sua residência no Rio de Janeiro, em 28 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Notícias do Brasil
Ucrânia: OTAN precisa de inimigos para existir e Rússia se sente eleita para isso, diz Celso Amorim
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала