Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Mídia: Talibã faz reuniões para discutir como responder a ataque dos EUA que matou líder da Al-Qaeda

© AP Photo / Ebrahim NorooziCombatentes do Talibã fazem guarda no local de uma explosão em Cabul, Afeganistão, sábado, 18 de junho de 2022
Combatentes do Talibã fazem guarda no local de uma explosão em Cabul, Afeganistão, sábado, 18 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 03.08.2022
Nos siga noTelegram
Grupo discute como reagir ou se deve responder a ataque realizado pelos EUA no domingo (31) visto que bilhões de dólares estão congelados depois que o governo afegão apoiado pelos norte-americanos foi derrotado ano passado.
Principais líderes do Talibã discutiram nesta quarta-feira (3) como responder ao ataque de drone com míssil dos EUA em Cabul no domingo (31) no qual Washington diz ter matado o líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, disseram três fontes do grupo ouvidas pela Reuters.
"Há reuniões em um nível muito alto sobre se eles devem reagir ao ataque de drones e, caso decidam, qual é a maneira correta", disse à mídia um líder do grupo que ocupa uma posição importante no sistema.
O funcionário, assim como o próprio Talibã, não confirmou se Al-Zawahiri estava na casa que o míssil atingiu. Autoridades do grupo islâmico, aliados de longa data da Al-Qaeda, inicialmente confirmaram o ataque de drone no domingo (31), mas disseram que a casa atingida estava vazia.
A reação do Talibã pode ter repercussões significativas à medida que o grupo busca legitimidade internacional e acesso a bilhões de dólares em fundos congelados, após a derrota de um governo apoiado pelos EUA há um ano.
Al-Zawahiri, um médico egípcio, esteve intimamente envolvido nos ataques de 11 de setembro de 2001 em Nova York e era um dos homens mais procurados do mundo. Sua morte em Cabul levanta questões sobre se ele recebeu refúgio do Talibã, que havia garantido a Washington, como parte de um acordo de 2020 sobre a retirada das forças lideradas pelos EUA, que eles não abrigariam outros grupos militantes.
Militantes do grupo Tahrir al-Sham, ligado à Al-Qaeda (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países), dispersam protesto em Bab al-Hawa, posto fronteiriço entre a Síria e a Turquia, em 20 de dezembro de 2019 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Panorama internacional
Publicação revela como EUA conseguiram encontrar e matar líder da Al-Qaeda
De acordo com a mídia, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse que o Talibã "violou grosseiramente" o acordo ao hospedar e abrigar o líder da Al-Qaeda.
Suhail Shaheen, o representante designado do Talibã nas Nações Unidas, com sede em Doha, disse a jornalistas que não recebeu nenhuma palavra sobre a posição do grupo.
"Estou aguardando detalhes e reação de Cabul", disse ele a repórteres em mensagem.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала