Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Provocação perigosa de Pelosi deixa o mundo mais perto do precipício, diz editor do China Daily

© Divulgação/Instagram/Nancy PelosiNancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, em coletiva
Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, em coletiva - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Nos siga noTelegram
O jornalista Ian Goodrum, editor do jornal China Daily — produzido pelo Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) —, publicou nesta terça-feira (2) um artigo que alerta para o que a visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a Taiwan pode provocar no mundo.
Em artigo publicado em destaque no China Daily, Goodrum classificou de "capricho" a visita de Pelosi a Taiwan — relacionando esse ato com os questionamentos internos que a congressista tem sofrido nos Estados Unidos —, mas apontou o potencial explosivo desse ato.
O jornalista alerta que a viagem torna Pelosi a mais alta autoridade dos EUA a viajar para Taiwan em décadas e que "intensificou o desgaste dos laços dos EUA com a China".

"Como os EUA não reconhecem a 'independência de Taiwan' e Pelosi é a segunda na linha de sucessão presidencial, a medida tem sido vista por muitos de ambos os lados como um passo perigoso em direção a um conflito aberto entre as duas maiores economias do mundo."

Nancy Pelosi posa para foto oficial ao lado de sua delegação e de autoridades de Taiwan após aterrissagem em Taipé - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Panorama internacional
'Visita de Pelosi a Taiwan é intervenção externa em assuntos internos da China', diz analista
Goodrum aponta que a política de uma só China, que reconhece o governo de Pequim como central, é a base dos laços entre os países e que o governo de Joe Biden tem tentado uma reaproximação com o presidente chinês, Xi Jinping. No entanto, ele destaca que Pelosi tem sido um "falcão" contra Pequim e que a viagem pode ser uma forma de forçar uma postura mais agressiva da Casa Branca contra a China.
"Esse é um motivo muito mais intrigante — e perturbador — do que a explicação quase juvenil de uma turnê de despedida que acaricia o ego, pois forneceria ainda mais evidências do impulso intrínseco da campanha de cerco dos EUA contra a China. [...] É uma tendência preocupante, e provavelmente só vai piorar nos próximos anos", disse.

"Sem espaço para o diálogo racional, crescem as chances de uma crise que empurra o mundo através do Rubicão. [...] [Pelosi] teria criado sozinha um momento de gatilho em que qualquer lapso momentâneo de comunicação pode significar uma escalada que foge ao controle de qualquer um", destacou.

O jornalista acredita que "nem os EUA nem a China querem uma guerra". "A China não está em conflito armado com outra nação há quase 50 anos, e não há razão para que isso mude tão cedo", disse.
Presidente chinês, Xi Jinping, durante discurso no aniversário da Revolução de Xinhai, 9 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 01.08.2022
Panorama internacional
Xi Jinping 'derrotou facilmente' Joe Biden em conversa sobre Taiwan, diz American Spectator
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала