Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China não descarta ação militar contra Taiwan

© AP Photo / Jin Danhua/Xinhua Dois caças chineses SU-30 decolam de um local não especificado para fazer uma patrulha sobre o Mar do Sul da China.
 Dois caças chineses SU-30 decolam de um local não especificado para fazer uma patrulha sobre o Mar do Sul da China. - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Nos siga noTelegram
Representante de Pequim na ONU diz que país não descarta ação para disseminar o potencial separatista na ilha, mas que uso de armas nucleares "não está na agenda"
A China fará todo possível para se reunir pacificamente com Taiwan, mas não descarta uma ação militar contra a ilha para acabar com os sentimentos separatistas. É o que disse o chefe do departamento de desarmamento do Ministério das Relações Exteriores da China, Fu Tsong, em entrevista concedida à Ria Novosti, à margem da 10ª conferência de Revisão das Partes do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares.
"Faremos o possível para unir o país pacificamente. A razão pela qual não desistimos da possibilidade de uma solução militar é que devemos conter o potencial separatista para que não vá longe demais", disse Fu Tsong.
Apesar da declaração, Tsong ressaltou que "o uso de armas nucleares não está na agenda" de Pequim.
"Neste caso em particular, não acho que as armas nucleares estejam na agenda. Mas em termos de que tipo de contramedidas a China vai tomar, temos que esperar. Fique tranquilo, haverá fortes contramedidas contra os EUA."
Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, em coletiva - Sputnik Brasil, 1920, 02.08.2022
Panorama internacional
Provocação perigosa de Pelosi deixa o mundo mais perto do precipício, diz editor do China Daily
A declaração de Tsong vem na esteira da visita da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan. Segunda na linha de sucessão do presidente americano, Joe Biden, Pelosi desembarcou na ilha nesta terça-feira (2), sob um forte clima de tensão, para uma visita considerada por analistas como uma provocação desnecessária e uma intervenção americana em assuntos internos da China.
"Nossa visita reitera que os Estados Unidos estão com Taiwan: uma democracia robusta e vibrante e nosso importante parceiro no Indo-Pacífico", escreveu Pelosi, em sua conta no Twitter após desembarcar na ilha.
Na segunda-feira (1º), Pequim já havia advertido que tomaria ações em resposta à visita de Pelosi. Na ocasião, o embaixador de Pequim na ONU, Zhang Jun, alertou que a visita prejudicaria a relação entre EUA e China.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала