Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Polônia critica política da UE sobre corte obrigatório de gás e diz que 'não cumprirá' medida

© AP Photo / Michal DyjukO primeiro-ministro da Polônia, Mateusz Morawiecki, fala à mídia durante uma entrevista coletiva após se reunir com o primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez em Varsóvia, Polônia, 27 de julho de 2022
O primeiro-ministro da Polônia, Mateusz Morawiecki, fala à mídia durante uma entrevista coletiva após se reunir com o primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez em Varsóvia, Polônia, 27 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 28.07.2022
Nos siga noTelegram
O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, disse nesta quinta-feira (28) que uma possível decisão sobre uma redução compulsória do consumo de gás na União Europeia deve ser tomada por unanimidade, não por maioria qualificada.
Na terça-feira (26), os Estados-membros do bloco aprovaram um plano de emergência para conter a demanda, depois de fechar acordos para limitar as reduções de consumo em alguns países.
Nesse plano, os cortes podem se tornar obrigatórios em uma emergência de abastecimento, desde que a maioria dos países da UE concorde. A Hungria foi o único país que se opôs ao plano, de acordo com a Reuters.
Varsóvia havia dito que era contra cortes obrigatórios, e hoje (28) Morawiecki disse que queria ter a possibilidade de vetar tal decisão.
"Nós absolutamente somos a favor de tal votação nesta matéria – devido ao fato de que se trata de eletricidade, a matriz energética –sendo no modo da chamada unanimidade, onde a Polônia tem o direito de veto. Exigimos isso. Se a UE tentar nos coagir a votar por maioria qualificada, protestaremos fortemente", afirmou.
Ao mesmo tempo, a ministra do Clima polonesa, Anna Moskwa, disse em uma entrevista separada que o país já alcançou uma redução significativa no consumo de gás e uma discussão sobre cortes obrigatórios era "desnecessária".
Trabalhador em meio aos gasodutos do Nord Stream 2, em Lubmin, na Alemanha, em 15 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 19.07.2022
Panorama internacional
UE não consegue substituir gás russo se Nord Stream 1 permanecer fechado, alerta especialista
"Espero que isso nunca aconteça [...] absolutamente não apoiaremos essa redução [obrigatória] e, na pior das hipóteses, se formos derrotados, simplesmente não cumpriremos", disse Anna Moskwa à emissora pública TVP.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала