- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Lula: Se Bolsonaro tentar golpe no Brasil, vai pagar preço muito caro

© RICARDO STUCKERTO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante ato em Pernambuco
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante ato em Pernambuco - Sputnik Brasil, 1920, 27.07.2022
Nos siga noTelegram
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse em entrevista nesta quarta-feira (27) não acreditar em uma possibilidade de golpe de Estado no Brasil. Para ele, se o presidente Jair Bolsonaro (PL) tentar algo nesse sentido, não terá apoio e "vai pagar um preço muito caro".
Em entrevista ao portal UOL, Lula, candidato do PT à Presidência nas eleições deste ano, criticou a tentativa de Bolsonaro de transformar a cerimônia do 7 de Setembro, quando se celebram 200 anos da independência do Brasil, em um comício de reeleição com ameaças golpistas.
"Ao invés de realizar uma grande festa cívica, Bolsonaro quer transformar os 200 anos em um ato dele, quer transformar em uma motociata. Ele não vai ter sucesso porque sabe que a independência não é dele", lamentou.
O ex-presidente ponderou que "os militares são mais responsáveis que o Bolsonaro" e que por isso não acredita em golpe de Estado.

"Eu não acredito em golpe, não acredito que as Forças Armadas aceitem isso, não acredito que a sociedade brasileira permita. Se esse cidadão [Bolsonaro] começar a brincar com a democracia, vai pagar um preço muito caro."

"Eu convivi com as Forças Armadas e nunca tive problemas. Eu tenho certeza que as Forças Armadas não apoiam essas bobagens que o Bolsonaro fala. Não tem o apoio do Alto Comando", afirmou.
O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participa de evento em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 9 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 06.07.2022
Notícias do Brasil
'Povo brasileiro tem visto desastre do governo de Bolsonaro', diz Lula à Sputnik

'Petrobras tem que ser mais do que uma empresa de petróleo', diz Lula

Durante a entrevista, o ex-presidente defendeu o aumento do investimento na cadeia de produção de petróleo, em especial no refino. Nesse sentindo, pregou o fortalecimento da Petrobras.

"Petrobras vai voltar a ser mais que uma empresa de petróleo. A Petrobras é uma empresa de energia."

"Nós vamos fazer refinaria nesse país, esse país vai ser autossuficiente, vamos restabelecer os royalties para educação, saúde e tecnologia", disse ainda.
Lula ainda afirmou que pretende mudar a política de preços da Petrobras.
Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), da Petrobras, na cidade de Canoas, Rio Grande do Sul - Sputnik Brasil, 1920, 15.07.2022
Notícias do Brasil
Especialista: atual política de preços da Petrobras só favorece importadores de combustível dos EUA
"Eu pretendo mudar a política de preços da Petrobras. Eu pretendo fazer com que o preço da Petrobras seja em função dos custos nacionais. Nós produzimos em real e pagamos em real. Essa história de PPI [preço de paridade internacional] é para agradar aos acionistas em detrimento de 215 milhões de brasileiros", sustentou.

"Nós podemos reduzir o preço, sim. Bolsonaro não teve coragem porque ele está comprometido com a privatização."

Defendendo esses investimentos, Lula disse ainda que o Brasil "precisa ter orgulho de ser grande, esse país pode ser muito importante no mundo, estar no mesmo patamar da China, dos Estados Unidos. A gente precisa pensar grande". O ex-presidente ainda comentou as relações com os EUA e disse que a única coisa que exige de Washington é respeito.
Em Brasília, bolsonaristas oram durante Marcha da Família Cristã pela Liberdade, repetindo famoso protesto da Ditadura Militar, em 11 de abril de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 23.07.2022
Notícias do Brasil
Especialista: não há registro de presidente reeleito em condições similares às do governo Bolsonaro

'Amazônia vai ter um papel especial no meu governo'

Durante a entrevista, o ex-presidente disse que a "Amazônia vai ter um papel especial" em seu eventual governo. "É preciso que a gente leve muito a sério a importância [da questão] climática no planeta Terra, e o Brasil tem muita responsabilidade", declarou.

"Ao invés de ficar brigando de quem é a Amazônia, ela tem que ser de todo o mundo. Apesar de o Brasil ter a soberania sobre ela, a gente pode construir com cientistas e governos do mundo inteiro o jeito de pesquisar a Amazônia, explorar todo o seu potencial de desenvolvimento na indústria de fármacos, cosméticos, para que a gente gere emprego para as pessoas que trabalham na Amazônia."

"O Brasil é soberanamente dono da Amazônia, mas podemos fazer parcerias", reforçou.
O procurador-geral da República, Augusto Aras - Sputnik Brasil, 1920, 12.07.2022
Notícias do Brasil
PGR está aumentando presença na Amazônia, diz Aras
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала