Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

UE diz que Ucrânia precisa intensificar esforços de reformas para reforçar credenciais de adesão

CC0 / / Bandeira da União Europeia (UE) rasgada (imagem de referência)
Bandeira da União Europeia (UE) rasgada (imagem de referência) - Sputnik Brasil, 1920, 26.07.2022
Nos siga noTelegram
A Comissão Europeia publicou nesta terça-feira (26) seu Relatório Anual de Implementação da Associação sobre a Ucrânia, no qual diz que, apesar do progresso nas reformas em certas áreas-chave, Kiev precisa fazer mais pelo Estado de direito e para combater a corrupção.
O relatório da União Europeia (UE) foi publicado antes do Conselho de Associação UE-Ucrânia, agendado para 5 de setembro, e abrange o período de dezembro de 2020 a 24 de fevereiro.
"O relatório conclui que, no período coberto pelo relatório, a Ucrânia foi desafiada pelas ações desestabilizadoras da Rússia, o conflito no Leste e a pandemia de COVID-19. O relatório destaca que a Ucrânia, no entanto, continuou a priorizar a associação e maior integração com a UE e que, apesar desses desafios, as principais reformas ganharam novo impulso", disse a Comissão em comunicado.
O relatório elogia a Ucrânia pelo "progresso significativo" na transformação digital em particular, bem como pela criação de um departamento de segurança econômica encarregado de combater graves crimes econômicos e financeiros.
"A Ucrânia precisa de fazer mais reformas, especialmente na área da Justiça, Estado de direito, luta contra a corrupção e direitos fundamentais", disse o comissário da UE para Vizinhança e Ampliação, Oliver Varhelyi, acrescentando que "a UE continuará a apoiar a Ucrânia no seu caminho europeu e vinculá-lo aos esforços de reconstrução do pós-guerra".
Nesta imagem fornecida pelo Gabinete de Imprensa Presidencial ucraniano, o Presidente ucraniano Vladimir Zelensky apresenta ao chefe da Delegação da União Europeia (UE) na Ucrânia, Matti Maasikas, o conjunto de dois volumes das respostas da Ucrânia ao questionário da união, o primeiro passo na sua campanha para obter adesão acelerada à UE, em Kiev, Ucrânia, 18 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 19.07.2022
Panorama internacional
Embaixador da União Europeia diz à Ucrânia para não esperar atalhos de adesão ao bloco
A união também espera que a Ucrânia faça mais pela agenda ambiental, pela independência do banco central e pela proteção das minorias nacionais.
Em 23 de junho, a UE concedeu à Ucrânia o status de candidata à adesão ao bloco. A obtenção do estatuto de candidato é o primeiro passo de um longo processo para a adesão.
O presidente ucraniano Vladimir Zelensky assinou o pedido de adesão da Ucrânia à UE em 28 de fevereiro, poucos dias após o início da operação militar especial russa, e pediu a Bruxelas que agilizasse a consideração. Na semana passada, o embaixador da UE na Ucrânia, Matti Maasikas, disse que a Ucrânia não deve esperar nenhum atalho para se tornar membro do bloco europeu, já que a adesão exigiria que Kiev realizasse "um trabalho completo".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала