Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Com sanções europeias à Rússia, EUA se tornam o maior exportador de gás natural

© Sputnik / Aleksei Vitvitsky / Abrir o banco de imagensVálvulas de tubulação do gasoduto Gazela entre a República Tcheca e a Alemanha, utilizado para o transporte de gás russo à União Europeia (UE), 23 de novembro de 2021
Válvulas de tubulação do gasoduto Gazela entre a República Tcheca e a Alemanha, utilizado para o transporte de gás russo à União Europeia (UE), 23 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 25.07.2022
Nos siga noTelegram
Os Estados Unidos se tornaram o maior exportador mundial de gás natural liquefeito (GNL), no primeiro semestre de 2022, tendo a Europa como elemento-chave para o crescimento das vendas americanas devido às sanções ao combustível russo.
"Os Estados Unidos se tornaram o maior exportador de gás natural liquefeito (GNL) do mundo durante o primeiro semestre de 2022", informou a Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês), em um comunicado.
O órgão americano afirma que, desde o final do ano passado, os países europeus passaram a "importar cada vez mais GNL [dos EUA] para compensar as menores importações de gasodutos da Rússia e preencher os estoques de armazenamento de gás natural historicamente baixos".
As importações de GNL na União Europeia e no Reino Unido aumentaram 63% durante o primeiro semestre de 2022, para uma média de aproximadamente 420 milhões de metros cúbicos por dia.
Em junho, os Estados Unidos exportaram 11% menos GNL do que a média dos primeiros cinco meses de 2022, principalmente devido a uma interrupção não planejada no projeto de exportação Freeport LNG, que deve retomar as operações no início de outubro.
© AP Photo / Michael SohnInstalações do gasoduto Nord Stream 2 em Lubmin, no norte da Alemanha, em 15 de fevereiro de 2022
Instalações do gasoduto Nord Stream 2 em Lubmin, no norte da Alemanha, em 15 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.07.2022
Instalações do gasoduto Nord Stream 2 em Lubmin, no norte da Alemanha, em 15 de fevereiro de 2022
Antes da interrupção da produção do Freeport LNG, a utilização da capacidade em sete instalações de GNL nos EUA chegou a 87% no primeiro semestre.
Na segunda-feira , a Rússia anunciou que reduzirá os fluxos no gasoduto Nord Stream 1 para apenas 20% da capacidade, complicando as metas da União Europeia de encher os tanques de armazenamento de gás antes do inverno.
Desde o início da operação militar especial russa na Ucrânia, no dia 24 de fevereiro, os EUA e seus aliados iniciaram a aplicação de sanções contra Moscou. Entre as medidas estão restrições econômicas às reservas internacionais russas e a suas exportações de petróleo, gás, carvão, aço e ferro.
Frentista abastecendo carros em posto de combustível em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, 14 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 23.07.2022
Notícias do Brasil
Biocombustíveis não têm como frear crise, mas ajudam na transição energética do Brasil, diz analista
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала