Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Grupo de mercenários estrangeiros dos EUA, Canadá e Suécia foi morto na Ucrânia, segundo mídia

© Sputnik / Stringer / Abrir o banco de imagensMilitares ucranianos durante treinamento
Militares ucranianos durante treinamento - Sputnik Brasil, 1920, 24.07.2022
Nos siga noTelegram
No início desta semana em Donbass foi morto um grupo de mercenários estrangeiros composto por dois cidadãos dos EUA, um canadense e um sueco que combatiam junto com as forças ucranianas, segundo escreve Politico.
A publicação cita o "comandante dos combatentes estrangeiros" Ruslan Miroshnichenko. De acordo com ele, trata-se dos estadunidenses Luke Lucyszyn e Bryan Young, Emile-Antoine Roy-Sirois do Canadá e do sueco Edvard Selander Patrignani.
Os referidos mercenários faziam parte das "forças de operações especiais" e foram mortos durante um bombardeio em 18 de julho na área de povoado de Grigorievka, aponta jornal.
Ontem (23), um porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos informou que recentemente morreram dois cidadãos dos EUA, mas sem revelar os seus nomes.
"Podemos confirmar que dois cidadãos americanos perderam a vida recentemente na região de Donbass", disse o funcionário.
Imagem mostra fumaça saindo de prédios atingidos em Mariupol (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 23.07.2022
Panorama internacional
Mídia: 2 americanos que lutaram com ucranianos morreram em Donbass
Anteriormente, o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, disse que Washington solicitou que mercenários norte-americanos capturados durante o conflito na Ucrânia sejam tratados como combatentes e respondam pelas leis internacionais.
Vale lembrar que, em 20 de junho, o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov, reiterou que mercenários detidos na Ucrânia não estão sujeitos à Convenção de Genebra.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала