Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sociedade e cotidiano
As principais notícias, reportagens e artigos sobre sociedade e a rotina cotidiana.

Rússia critica negligência dos europeus sobre perigos climáticos para o Ártico

© Sputnik / Ministério da Defesa da RússiaSubmarino nuclear da Marinha russa durante exercícios no Ártico
Submarino nuclear da Marinha russa durante exercícios no Ártico - Sputnik Brasil, 1920, 22.07.2022
Nos siga noTelegram
Com o boicote ocidental ao Conselho do Ártico, trabalhos e pesquisas para a região sobre proteção ambiental e mudanças climáticas foram paralisadas.
Em um comunicado emitido nesta sexta-feira (22), o Ministério das Relações Exteriores da Rússia revelou preocupação com o congelamento das "iniciativas vitais para o meio ambiente e o bem-estar das populações nativas do Ártico".
O governo da Rússia, de acordo com o MRE russo, espera que o Conselho do Ártico retome as operações normais em um futuro próximo, principalmente para tratar dos problemas climáticos da região polar norte.
No início de março, todos os outros membros do conselho (EUA, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia) suspenderam sua participação citando o conflito na Ucrânia.
"Esta é a primeira vez que isso acontece nos 25 anos de existência do Conselho do Ártico, embora muitos países-membros nesse período tenham participado de inúmeras intervenções militares em várias partes do mundo", disse Nikolai Korchunov, representante de Moscou no Conselho do Ártico.
No início desta semana, Korchunov organizou uma mesa-redonda sobre o futuro do Conselho do Ártico, com a participação de especialistas da Rússia, China, Índia e Finlândia.
A palestra focou em questões de segurança, fortalecimento da confiança mútua em uma situação geopolítica difícil e formas de cooperação mutuamente benéficas no Ártico.
Ártico (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 15.06.2022
Panorama internacional
BRICS e G20 querem cooperar com Rússia no Ártico, segundo chancelaria russa
O conselho efetivamente parou de funcionar devido ao boicote ocidental, apontou Korchunov, mas Moscou espera que retome seu trabalho em algum momento no futuro próximo.
Cerca de metade dos projetos da Rússia dentro do conselho visam melhorar o padrão de vida dos habitantes da região por meio de iniciativas como a preservação do patrimônio cultural e histórico das populações nativas.
A Rússia também está buscando contribuições de cientistas e especialistas de países não árticos para tratar de questões climáticas e de proteção ambiental, pois afetam não apenas a região, mas todo o planeta, observou Korchunov.
Longyearbyen, cidade localizada na costa do mar da Groenlândia, é a capital administrativa e econômica do arquipélago de Svalbard, na Noruega - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Panorama internacional
Rússia alerta Noruega sobre conflito no Ártico
Entre as questões que Moscou levantou no Conselho do Ártico estão o derretimento das camadas polares e as consequentes emissões de hidrocarbonetos na atmosfera, bem como o efeito da poluição por microplásticos nos ecossistemas.
Comentando o boicote ocidental ao trabalho do conselho, Korchunov insistiu que é "impossível garantir efetivamente o desenvolvimento sustentável do Ártico sem a Rússia, um país que representa cerca de 60% da costa do Ártico e abriga mais da metade da população da região".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала