Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Em crise, Argentina proíbe contratação de novos servidores

© Sergei KarpukhinO presidente argentino, Alberto Fernández, escuta uma questão durante coletiva de imprensa ao lado do presidente russo, Vladimir Putin, após encontro bilateral no Kremlin, em Moscou, 3 de fevereiro de 2022
O presidente argentino, Alberto Fernández, escuta uma questão durante coletiva de imprensa ao lado do presidente russo, Vladimir Putin, após encontro bilateral no Kremlin, em Moscou, 3 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 22.07.2022
Nos siga noTelegram
O governo da Argentina publicou nesta sexta-feira (22) um decreto que prevê a proibição de novas contratações pela administração pública até dezembro de 2023, quando termina o mandato do presidente Alberto Fernández.
A nova ministra da Economia da Argentina, Silvina Batakis, busca uma diminuição do gasto público diante da grave crise econômica que afeta o país. A orientação atende à previsão de redução do déficit fiscal estabelecida no acordo realizado com o Fundo Monetário Internacional (FMI).
"As jurisdições e entidades do Setor Público Nacional [...] não podem fazer nomeações ou contratar pessoal de qualquer natureza", afirma o decreto 426.
Estão proibidas as nomeações temporárias, as por tempo indeterminado, o trabalho com prazo fixo, as contratações por jornada parcial e temporária e a contratação para a prestação de serviços profissionais autônomos.
Presidente argentino, Alberto Fernández (à esquerda), em Buenos Aires, e presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, em Brasília - Sputnik Brasil, 1920, 12.07.2022
Panorama internacional
Inflação de 60% e dívida 'impagável': como escalada da crise na Argentina pode prejudicar o Brasil?
Empresas, sociedades e organizações onde o Estado argentino possui participação majoritária também devem adotar medidas semelhantes, de acordo com o decreto.
Essas medidas não se aplicam a hospitais, universidades, ciência e tecnologia, assistência de pessoas transgênero, atendimento a pessoas com deficiência, serviço penitenciário, Forças Armadas, forças de segurança, bombeiros e corpo diplomático.
O Ministério da Economia ainda pode abrir outras exceções para cobrir cargos vagos, nomeações ou contratações na administração pública.
Essa proibição havia sido anunciada pela ministra da Economia no dia 11, uma semana após sua posse.
A Argentina passa por um período de incertezas econômicas, com uma forte disparada do dólar em relação ao peso. Desde a renúncia do ex-ministro Martín Guzmán, no dia 2, a moeda subiu 42,2%.
O Banco Central da Argentina projeta uma inflação de 76% neste ano.
O canhão Cristão, feito com bronze de sinos de igrejas paraguaias, foi tomado pelo Brasil como troféu e é um dos exemplos do saque promovido por países Aliados durante a guerra (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 20.07.2022
Panorama internacional
Brasil, Argentina e Uruguai podem reconhecer genocídio durante Guerra do Paraguai?
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала