Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Medvedev: Ucrânia pode desaparecer do mapa político, se seguir perdendo soberania nacional

© AFP 2022 / Sergei SupinskyBandeiras da Ucrânia e da União Europeia na Praça Europeia em Kiev, 24 de junho de 2022
Bandeiras da Ucrânia e da União Europeia na Praça Europeia em Kiev, 24 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 21.07.2022
Nos siga noTelegram
No seu canal no Telegram, o ex-presidente russo publicou uma lista de coisas de que a Rússia, conforme ele, não tem culpa alguma. Entre tais coisas, há o fato de os políticos europeus, defendendo os interesses geopolíticos, forçarem os ucranianos a perderem suas vidas em prol da adesão à União Europeia.
As autoridades da União Europeia perderam por completo a noção da realidade, ao forçarem os ucranianos a sacrificar suas vidas a fim de a Ucrânia aderir ao bloco, afirmou o ex-presidente russo e atual vice-presidente do Conselho de Segurança, Dmitry Medvedev. Segundo o oficial russo, os "charlatões" políticos na Europa manipulam a questão de restauração da soberania ucraniana dentro das suas antigas fronteiras, visando obter mais lucro.

"Os loucos, denominados por si mesmos as autoridades da UE, perderam por completo a noção da realidade, forçando os pobres ucranianos a sacrificarem as suas vidas em prol da adesão à União Europeia", escreveu Medvedev no seu canal no Telegram.

Dmitry Medvedev, vice-presidente do Conselho de Segurança da Federação da Rússia, durante uma videoconferência - Sputnik Brasil, 1920, 19.07.2022
Panorama internacional
Inundando Ucrânia com armas, EUA a transformam em novo Afeganistão, diz ex-presidente russo
Ao mesmo tempo, o ex-presidente russo salientou que a OTAN continua "contra toda a lógica e o bom senso" se aproximando das fronteiras russas, ao criar "uma ameaça real de conflito mundial e da morte de uma grande parte da humanidade".
O político russo também não evitou comentar a crise energética que os países europeus estão atualmente atravessando. O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia afirmou que Moscou não tem culpa de os europeus comuns terem de passar frio nas suas casas durante o inverno que vem. Além disso, a Rússia, segundo Medvedev, não contribuiu nada para a inflação crescente no Ocidente e as perdas das empresas ocidentais, que antes investiam na economia russa.
No seu canal no Telegram, Dmitry Medvedev publicou uma lista de coisas de que a Rússia, segundo ele, não tem culpa alguma.
"[A Rússia não tem culpa de] os tolos europeus terem sido enganados de maneira cínica pelos norte-americanos, tendo de enfrentar as consequências mais sensíveis da pressão de sanções sobre as populações europeias. Não somos culpados por os europeus comuns terem de enfrentar frio no inverno que vem", salientou.
Joe Biden, presidente dos EUA, escuta líderes da agência espacial norte-americana NASA no Auditório da Corte Sul do Prédio do Escritório Executivo Eisenhower em Washington, EUA, 11 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 14.07.2022
Panorama internacional
EUA estão convencidos do seu direito de decidir por outros Estados, diz ex-presidente russo
Ao comentar a situação na Ucrânia, Medvedev constatou que após o golpe de Estado de 2014 o país "perdeu a sua independência e passou para gestão direta do Ocidente coletivo, bem como passou a acreditar que a OTAN defenderia a sua segurança". Conforme o político, como resultado, a Ucrânia pode acabar perdendo o resto da sua soberania nacional e desaparecendo do mapa político mundial.
O ex-presidente também expressou a sua certeza de que "os criminosos ucranianos" vão ser julgados pelos crimes cometidos contra os povos da Ucrânia e Rússia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала