Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Pelosi pode desencadear crise 'mais séria' no estreito de Taiwan arriscando laços China-EUA

© AFP 2022 / ALEX WONGA presidente da Câmara dos EUA, deputada Nancy Pelosi (Partido Democrata da Califórnia) fala durante evento de imprensa sobre direitos reprodutivos em frente ao Capitólio dos EUA, Washington, DC, 15 de julho de 2022
A presidente da Câmara dos EUA, deputada Nancy Pelosi (Partido Democrata da Califórnia) fala durante evento de imprensa sobre direitos reprodutivos em frente ao Capitólio dos EUA, Washington, DC, 15 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 20.07.2022
Nos siga noTelegram
Se Washington mantiver a visita da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA a Taiwan em agosto, as relações com Pequim podem se dissolver indefinidamente, arriscando a segurança na Ásia-Pacífico.
O Financial Times divulgou na terça-feira (19) que a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, planeja visitar Taiwan em agosto, depois que sua viagem à ilha da China foi cancelada em abril devido a teste positivo para COVID-19. De acordo com o Global Times, analistas afirmam que a provocação flagrante poderia desencadear um incidente muito mais perigoso do que a Crise do Estreito de Taiwan em 1996, causando um enorme revés para os laços China-EUA.
Assim como em abril, Pelosi não deu uma resposta oficial à reportagem até o momento, enquanto a pasta das Relações Exteriores da ilha afirmou não ter recebido informações sobre o caso.
O Ministério das Relações Exteriores chinês, no entanto, deu uma resposta séria para alertar os EUA. O porta-voz do ministério, Zhao Lijian, disse em uma coletiva de imprensa de rotina, ainda na terça-feira, que a China se opõe firmemente a qualquer forma de intercâmbio oficial entre as autoridades dos EUA e de Taiwan.
"Como parte integrante do governo dos EUA, o Congresso dos EUA deve cumprir estritamente a política de Uma Só China seguida pelos EUA. Se a presidente da Câmara, Pelosi, visitar Taiwan, será uma grave violação do princípio de Uma Só China e das disposições dos três comunicados conjuntos China-EUA", alertou Zhao.
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, gesticula enquanto fala durante um briefing diário em seu ministério em Pequim, 24 de fevereiro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 19.07.2022
Panorama internacional
Pequim exige que EUA, que violam princípio de Uma Só China, cancelem visita de Pelosi a Taiwan
Ainda de acordo com o porta-voz, Pequim já havia solicitado que os EUA não organizassem visitas oficiais de seus representantes e interrompessem os intercâmbios oficiais com a ilha, evitando assim as tensões no estreito de Taiwan, e advertiu que "se os EUA insistirem em seguir seu próprio caminho, a China tomará medidas firmes e contundentes para salvaguardar firmemente a soberania nacional e a integridade territorial. Os EUA devem arcar com todas as consequências da visita".
O porta-voz do Escritório dos Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado, Zhu Fenglian, também disse na terça-feira que a tentativa das autoridades do Partido Democrático Progressista (DPP, na sigla em inglês) de conspirar com forças estrangeiras para buscar a secessão, não importa de que forma, só terminará em fracasso.
Especialistas chineses disseram ao Global Times que, se a visita for adiante, seria uma "provocação de nível estratégico", então a resposta definitivamente seria "não apenas militar, mas também estratégica", e as consequências seriam difíceis para os EUA, que estão sob séria pressão econômica.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала