Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

França vai nacionalizar o maior fornecedor de energia do país para combater crise no setor

© AFP 2022 / SAMEER AL-DOUMYOperador trabalha na sala de controle do reator nuclear do projeto Reator Pressurizado Europeu (EPR, na sigla em inglês) de terceira geração de Flamanville, Normandia, 14 de junho de 2022
Operador trabalha na sala de controle do reator nuclear do projeto Reator Pressurizado Europeu (EPR, na sigla em inglês) de terceira geração de Flamanville, Normandia, 14 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 20.07.2022
Nos siga noTelegram
Na tentativa de mitigar efeitos da crise energética europeia, Estado francês vai comprar a EDF, a maior fornecedora de energia do país.
A França anunciou uma oferta pública de aquisição para obter o controle total da maior empresa de energia do país, a Électricité de France (EDF).
O governo fez uma oferta de € 9,7 bilhões (cerca de R$ 49,9 bilhões) para nacionalizar o fornecedor de eletricidade EDF, disse o Ministério da Economia e Finanças do país nesta terça-feira (19). Atualmente, o Estado francês já detém 84% das ações da empresa.
O governo planeja apresentar a oferta à Autoridade de Mercados Financeiros no início de setembro e espera concluir a aquisição no final de outubro, informou a Euronews citando o ministério.
O Estado vai oferecer € 12 por ação (aproximadamente R$ 66), um prêmio de 53% sobre o valor de fechamento do dia anterior ao anúncio dos planos de nacionalização.
Trabalhador em meio aos gasodutos do Nord Stream 2, em Lubmin, na Alemanha, em 15 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 19.07.2022
Panorama internacional
UE não consegue substituir gás russo se Nord Stream 1 permanecer fechado, alerta especialista
A França quer assumir o controle total da EDF, que acumula um bom número de dívidas, para proteger as famílias do aumento das contas de energia enquanto investe em energia renovável e energia nuclear, de acordo com uma política mais ampla da União Europeia (UE) de reduzir a dependência de combustíveis fósseis importados, em especial da Rússia.
Segundo relatos, a dívida da EDF pode exceder € 60 bilhões (cerca de R$ 332,6 bilhões) até o final do ano e, em geral, o aumento do custo do petróleo e do gás está forçando as empresas europeias de energia e serviços públicos a acumular dívidas para se manterem ativas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала