Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Tesouro dos EUA promete 'medidas duras' contra países que abusam da ordem econômica

© AP Photo / Susan WalshJanet Yellen, secretária do Tesouro dos EUA, durante coletiva de imprensa no Departamento do Tesouro em Washington, EUA, 21 de abril de 2022
Janet Yellen, secretária do Tesouro dos EUA, durante coletiva de imprensa no Departamento do Tesouro em Washington, EUA, 21 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 19.07.2022
Nos siga noTelegram
Os Estados Unidos vão tomar medidas duras contra países que quebram a ordem econômica internacional, disse a secretária de Tesouro norte-americana, Janet Yellen, nesta terça-feira (19) durante sua visita a Seul.
Yellen denunciou a Rússia por usar a integração econômica como "armamento" e prometeu impor "duras consequências" aos países que abusassem ou quebrassem a ordem internacional.
A secretária estadunidense exortou a limitar o preço proposto para as exportações russas de petróleo como "uma ferramenta mais poderosa" para lidar com os altos custos de energia e pediu os países parceiros para se unir à iniciativa, escreve a agência sul-coreana Yonhap.
Os EUA e outros aliados confiáveis estão tentando cortar as receitas da Rússia, mas sem provocar desestabilidade do mercado energético mundial, acrescentou Yellen.
Além disso, a alta funcionária ressaltou como fundamental a necessidade de reduzir a dependência dos EUA em determinadas exportações chinesas como metais de terras raras, painéis solares e outros bens-chave da China.
Bandeiras russas e chinesas em uma mesa antes de uma cerimônia de assinatura no Grande Salão do Povo em Pequim (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 19.07.2022
Panorama internacional
China segue defendendo seus interesses nacionais apesar das ameaças norte-americanas, diz analista
"Eles usaram coerção para pressionar vários países cujo comportamento eles desaprovaram", constatou. "Sabemos que essa é uma razão pela qual não queremos depender da China."

"Não podemos permitir que países como a China usem sua posição de mercado em matérias-primas, tecnologias ou produtos-chave para interromper nossa economia ou exercer uma alavancagem geopolítica indesejada", disse ela, destacando a necessidade de diminuir os riscos da "superconcentração" dos principais suprimentos em "países não confiáveis".

Janet Yellen chegou à capital sul-coreana na segunda-feira (18) a partir da Indonésia, onde havia participado da reunião dos ministros de Finanças do G20. De acordo com as palavras dos EUA, Washington insiste na ampliação dos laços comerciais com a Coreia do Sul e outros aliados confiáveis para elevar a estabilidade das cadeias de suprimento e impedir manipulações possíveis pelo "monopolista".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала