Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ex-chefe da Defesa dos EUA é recebido por Taiwan como 'amigo leal' para visita de 4 dias

© AFP 2022 / MONEY SHARMAO então secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, durante coletiva de imprensa conjunta nos gramados da Hyderabad House, em Nova Délhi, 27 de outubro de 2020
O então secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, durante coletiva de imprensa conjunta nos gramados da Hyderabad House, em Nova Délhi, 27 de outubro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 18.07.2022
Nos siga noTelegram
Mark Esper, chefe da Defesa do governo Trump, é um apoiador de longa data de Taiwan, tendo pressionado Washington a rever sua política de Uma Só China.
O ex-chefe da Defesa dos EUA, Mark Esper, está em viagem de quatro dias a Taiwan para tomar conhecimento das últimas ameaças à segurança enfrentadas pela ilha, disse o Ministério das Relações Exteriores de Taipé.
O ministério descreveu Esper como um "amigo leal" de Taiwan, em reconhecimento à postura do ex-chefe da Defesa norte-americana pela revisão da política de Uma Só China de Washington.
Pequim vê Taiwan como parte de seu território, portanto, um assunto interno. Já a política de Uma Só China dos EUA, embora reconheça Pequim como o governo legítimo da China, apenas reconhece, mas não endossa, sua posição de que Taiwan é parte da China.
"A delegação [dos EUA] visitará altos funcionários do governo e departamentos relevantes e terá intercâmbio com grupos de reflexão e líderes empresariais aqui para tomar conhecimento dos últimos desenvolvimentos [em Taiwan]", disse o comunicado do ministério.
Os treinadores de jato avançados TA-5 Brave Eagle, construídos localmente, da Força Aérea de Taiwan decolam em formação para uma demonstração de voo em uma base da força aérea em Taitung, leste de Taiwan, em 6 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 18.07.2022
Panorama internacional
China exige que Washington rompa quaisquer contatos militares com Taiwan
De acordo com o South China Morning Post, o conflito na Ucrânia trouxe uma crescente atenção global para a questão de Taiwan. Em seu comunicado, o Ministério das Relações Exteriores da ilha expressou ainda esperanças de que a visita dos delegados norte-americanos ajude "a aumentar a compreensão e o apoio dos formuladores de políticas americanos e europeus a Taiwan".
Esper está viajando com o vice-presidente sênior e diretor do grupo de reflexão Atlantic Council, Barry Pavel, e o ex-representante permanente italiano na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e atual membro sênior não residente desse grupo Stefano Stefanini, eles devem se encontrar com a presidente Tsai Ing-wen na terça-feira (19), de acordo com o porta-voz de seu gabinete, Xavier Chang.
"A presidente espera que, por meio dessas trocas, os EUA e a Europa aprofundem seu apoio a Taiwan e a cooperação entre parceiros democráticos no mundo", disse Chang.
Segundo Esper, Washington precisa manter a vigilância em sua missão de deter a agressão do Exército Popular de Libertação (EPL) da China a Taiwan, já que para o especialista em Defesa Pequim é a maior ameaça estrangeira enfrentada pelos EUA hoje e uma revisão da postura norte-americana evitaria possíveis cenários de conflito na região.
Polícia de choque olhando para pessoas segurando bandeiras de Taiwan enquanto se juntam a outras em uma manifestação para marcar o Dia Nacional de Taiwan - Sputnik Brasil, 1920, 15.07.2022
Panorama internacional
EUA citam 'ameaça comunista' e aprovam possível venda de assistência militar para Taiwan
Pequim reivindica soberania sobre Taiwan, que considera um território separatista, e promete recuperar a ilha pela força, se necessário. Também adverte os países que reconheçam Pequim e observem a política de uma só China contra o estabelecimento de contato oficial com a ilha.
Embora Washington não tenha relações diplomáticas com Taipé, mantém com ela o que o Departamento de Estado dos EUA chama de laços "não oficiais robustos" e é seu principal fornecedor internacional de armas.
Os EUA deveriam abandonar sua política de "ambiguidade estratégica" ao lidar com Pequim, segundo Esper, porque tal mudança poderia impedir que Pequim atacasse Taiwan.
Nos últimos meses, o presidente Joe Biden provocou polêmica ao afirmar o "compromisso" dos EUA em defender Taiwan caso o território seja atacado pelo ELP. Mas a Casa Branca apressou-se em retirar suas observações, justificando que não houve mudança na política de ambiguidade estratégica.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала