Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Armas da OTAN dobraram vítimas civis na República Popular de Donetsk, diz especialista militar

CC BY 2.0 / DVIDSHUB / Sgt. Christopher GaylordSistema Americano de Foguetes de Artilharia de Alta Mobilidade (Himars, na sigla em inglês) (foto de arquivo)
Sistema Americano de Foguetes de Artilharia de Alta Mobilidade (Himars, na sigla em inglês) (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 17.07.2022
Nos siga noTelegram
O número de vítimas civis na República Popular de Donetsk (RPD) mais que dobrou depois que a Ucrânia foi equipada com sistemas de mísseis de longo alcance da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e mísseis táticos Tochka-U, disse um especialista militar à Sputnik neste domingo (17).

"Uma vez que as [forças ucranianas] começaram a usar armas da OTAN, houve um aumento de 2,5 vezes nas baixas civis e na destruição da infraestrutura civil", afirmou Sergei Pereverzev, especialista militar do Centro Conjunto de Controle e Coordenação do Regime de Cessar-fogo (JCCC).

A Rússia iniciou a operação militar especial, em 24 de fevereiro, com o objetivo de "desmilitarizar" e "desnazificar" a Ucrânia, após pedido de ajuda das repúblicas populares de Donetsk (RPD) e Lugansk (RPL) para combater ataques de tropas ucranianas na região de Donbass.
Com a eclosão do conflito, o Ocidente, liderado pelos Estados Unidos, passou a aprovar pacotes de fornecimento de armas à Ucrânia para auxiliar nos ataques contra a Rússia.
Em 8 de junho, por exemplo, o governo Biden aprovou o envio de 1.000 munições de 155 mm de um novo tipo de artilharia guiada de precisão, como parte de um pacote de ajuda de US$ 400 milhões (R$ 2,2 bilhões) para Kiev.

"Desde o início da operação especial, o território da RPD foi bombardeado mais de 30 vezes com mísseis Tochka-U. Houve mais de 400 casos de bombardeio com munições de 155mm da OTAN. E o inimigo usou Himars [lançador múltiplo de foguetes dos EUA] mais de cinco vezes", disse o militar.

© Sputnik / Sergei AverinEscola Nº 22 destruída em Donetsk por ataques de lançadores múltiplos de foguetes Smerch ucranianos, em foto publicada em 30 de maio de 2022
Escola Nº 22 destruída em Donetsk por ataques de lançadores múltiplos de foguetes Smerch ucranianos, foto publicada em 30 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 17.07.2022
Escola Nº 22 destruída em Donetsk por ataques de lançadores múltiplos de foguetes Smerch ucranianos, em foto publicada em 30 de maio de 2022. Foto de arquivo
Neste sábado (16), o porta-voz da diretoria de inteligência do Ministério da Defesa ucraniano, Vadim Skibitskiy, disse que Kiev vê a Crimeia "como um alvo legítimo para o armamento de longo alcance do Ocidente", embora a Rússia já tenha alertado reiteradas vezes sobre as consequências de um eventual ataque à região.
O funcionário fez as observações durante uma entrevista para uma emissora ucraniana, e logo após ter sido perguntado se a Ucrânia poderia usar os sistemas de lançamento múltiplo de foguetes Himars e M270 MLRS, fabricados nos EUA, para atacar a Crimeia.
Moscou e Kiev fizeram tentativas de negociar um cessar-fogo, com reuniões na Turquia, que resultaram em trocas de prisioneiros. No entanto, até agora não houve acordo de paz para o fim do conflito, e as negociações foram interrompidas por iniciativa de Kiev.
Militares dos EUA perto de um lançador múltiplo de foguetes M142 HIMARS (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 16.07.2022
Panorama internacional
Pentágono afirma não rastrear armas fornecidas à Ucrânia
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала