Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Olaf Scholz arrisca perder chancelaria alemã se não ceder a Putin, opina The Telegraph

© AP Photo / Kay NietfeldChanceler alemão, Olaf Scholz, após a reunião governamental no castelo Meseberg, Alemanha, 4 de maio de 2022
Chanceler alemão, Olaf Scholz, após a reunião governamental no castelo Meseberg, Alemanha, 4 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 15.07.2022
Nos siga noTelegram
O chanceler alemão Olaf Scholz está correndo o risco de perder seu cargo caso não ceda ao presidente russo, escreve para o The Telegraph o colunista Daniel Johnson.
O jornalista aponta que a Alemanha tem enfrentado uma crise aguda devido à falta de recursos energéticos, produtos dos quais Berlim é dependente da Rússia.
"No leste, centro e norte da Europa, enquanto isso, a Alemanha sob Scholz é mais desprezada e desconfiada do que em qualquer momento desde 1945", escreveu Daniel Johnson.

"Um jogo de culpa amargo irrompeu sobre a decisão desastrosa de sair da energia nuclear há uma década, deixando a Alemanha totalmente dependente da Rússia. A reputação da outrora idolatrada Angela Merkel está em farrapos, mas o seu sucessor, Olaf Scholz, é responsabilizado por dois terços dos eleitores pelo fracasso em garantir segurança energética."

Na opinião do analista, o atual chanceler alemão, além dos erros na área energética, não tem mostrado suficiente firmeza na política externa. Assim, acredita Johnson, Olaf Scholz está tentando agradar tanto a OTAN como a Rússia, "mas não ganhou o respeito de nenhuma" das duas. Além disso, ele abandonou a Ucrânia e quase não presta qualquer ajuda.
Inauguração do monumento a Stepan Bandera, líder ideológico da Organização dos Nacionalistas Ucranianos, em Lviv (Ucrânia) - Sputnik Brasil, 1920, 13.07.2022
Panorama internacional
Alemanha e Ucrânia estão divididas sobre história de passado comum, diz NYT
Na sequência, a confiança em Berlim diminuiu e os problemas econômicos e energéticos da Alemanha estão fazendo com que mais alemães se oponham às ações punitivas contra a Rússia, enquanto o apoio público a Kiev tem diminuído em solo alemão.
"Ou está chegando um grande colapso a Berlim, com a possibilidade real de uma coalizão de 'semáforos' implodir, ou ela vai ceder a Putin. Na semana passada, Scholz e seus colegas estavam saudando a queda de Boris Johnson. Mas o chanceler alemão enfrenta um cenário de pesadelo próprio; seu schadenfreude [alegria maldosa] pode comprovar ser curta", avisa o jornalista.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала