Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Militares chineses acusam destróier dos EUA de intrusão ilegal nas águas das ilhas Paracel

CC BY-SA 2.0 / mashleymorgan / 070304-N-4965F-018Destróier USS Benfold num porto do Havaí
Destróier USS Benfold num porto do Havaí - Sputnik Brasil, 1920, 13.07.2022
Nos siga noTelegram
O destróier de mísseis americano USS Benfold entrou, sem licença do lado chinês, nas águas das ilhas Paracel, um arquipélago disputado no mar do Sul da China, relatou nesta quarta-feira (13) o representante oficial do comando do Exército chinês, Tian Junli.
"O destróier de mísseis americano USS Benfold entrou em 13 de julho nas águas territoriais do arquipélago Paracel sem autorização por parte do governo chinês", diz o comunicado.
De acordo com suas palavras, as ações dos militares americanos violam seriamente a soberania e a segurança da China, minam a paz e estabilidade no mar do Sul da China, bem como o direito internacional e as normas básicas das relações internacionais".
O representante ressaltou que esse passo é mais uma prova patente de que os Estados Unidos estão tentando militarizar o mar do Sul da China.
"Os fatos voltam a demonstrar que os EUA são quem verdadeiramente cria as ameaças na área da segurança no mar do Sul da China, quem destrói a paz e a estabilidade na região", acrescentou Tian Junli.
Ao longo das décadas, Pequim tem tido litígios com diversos países na Ásia-Pacífico sobre a soberania de uma série de ilhas no mar do Sul da China, onde foram encontradas reservas significativas de petróleo e gás.
Tanque de gás em planta química em Oberhausen, na Alemanha, em 6 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 12.07.2022
Panorama internacional
Em meio à severa crise energética, futuro da Europa não interessa muito aos EUA, diz analista chinês
A situação na região tem se agravado devido à passagem frequente de navios de guerra dos EUA pela zona. Apesar dos protestos de Pequim, Washington declarou que os EUA vão "navegar e voar" onde o direito internacional o permita.
Em julho de 2016, o Tribunal Permanente de Arbitragem em Haia determinou, em resultado de uma ação de Filipinas, que a China não tem fundamentos para reivindicar territórios no mar do Sul da China, decisão que Pequim não aceita como válida.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала