Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ex-deputado ucraniano diz que chefe de inteligência do país vende ilegalmente armas para a Europa

© Sputnik / Assessoria de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia / Abrir o banco de imagensUma tatuagem de um dos soldados rendidos do neonazista batalhão de Azov, na planta siderúrgica de Azovstal, em Mariupol, 20 de maio de 2022
Uma tatuagem de um dos soldados rendidos do neonazista batalhão de Azov, na planta siderúrgica de Azovstal, em Mariupol, 20 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 13.07.2022
Nos siga noTelegram
O ex-parlamentar da oposição ucraniana Ilia Kyva acusou, nesta quarta-feira (13), o chefe de inteligência do Ministério da Defesa ucraniano, Kirill Budanov, de organizar a venda ilegal de armas para a Europa por meio de estruturas neonazistas incorporadas oficialmente ao Exército ucraniano.
Segundo Kyva, Budanov reuniu ao seu redor líderes de grupos neonazistas ucranianos, incluindo o batalhão Azov (sob investigação criminal na Rússia).

"Por meio de suas estruturas paramilitares, às quais são generosamente alocadas as armas fornecidas pelo Ocidente, incluindo sistemas de defesa aérea portáteis [MANPADS, na sigla em inglês], mísseis guiados antitanque [ATGMs, na sigla em inglês] e munições, [Budanov] organizou o roubo e a venda ilegal [de armas] para a Europa através das fronteiras da Moldávia e da Romênia", disse Kyva.

Soldados ucranianos colocam obuseiro M777, entregue pelos EUA, em posição de combate - Sputnik Brasil, 1920, 07.07.2022
Panorama internacional
Ucrânia vende armas no mercado negro por ser incapaz de utilizá-las, diz ex-analista do Pentágono
No início deste mês, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse que as armas fornecidas à Ucrânia pelos países ocidentais acabam em parte no mercado negro e estão espalhadas pelo Oriente Médio.
Um membro do grupo hacker russo RaHDIt disse à Sputnik que documentos apreendidos revelaram que a inteligência ucraniana trabalha com criminosos e contrabandistas para revender armas ocidentais no mercado negro.
Militares ucranianos desembalam mísseis antitanque Javelin, entregues como parte da assistência de segurança dos Estados Unidos da América à Ucrânia, no aeroporto de Borispol, Ucrânia, 11 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 05.07.2022
Panorama internacional
Armamentos fornecidos à Ucrânia vão para o Oriente Médio e o mercado negro, diz ministro russo
O diretor ucraniano do Escritório de Segurança Econômica, Vadim Melnyk, admitiu que houve vários casos de venda de ajuda militar e humanitária ocidental.
Na terça-feira (12), o Financial Times informou, citando autoridades ocidentais, que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e os países europeus estão discutindo o estabelecimento de um mecanismo de rastreamento de armas devido ao receio de que as armas fornecidas à Ucrânia possam acabar nos mercados negros.
Medicamentos (imagem ilustrativa) - Sputnik Brasil, 1920, 13.07.2022
Panorama internacional
MD russo: autoridades de Carcóvia roubam medicamentos de ajuda humanitária e os revendem na Internet
A Rússia iniciou operação militar especial na Ucrânia em 24 de fevereiro, com o objetivo de "desmilitarizar e desnazificar" o país vizinho, após as repúblicas populares de Donetsk (RPD) e Lugansk (RPL) pedirem ajuda para se defender da intensificação dos ataques ucranianos.
Segundo o Ministério da Defesa russo, somente a infraestrutura militar ucraniana está na mira. Moscou já reiterou, por diversas vezes, que não tem planos de ocupar o país.
Os países do Ocidente, em resposta à operação russa, lançaram uma campanha de sanções sem precedentes contra Moscou, além de fornecerem uma imensa quantidade de armamento pesado, avaliada em bilhões de dólares.
O alto representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, durante uma coletiva de imprensa após a reunião com o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, na Casa de Recepção do MRE russo, 5 de fevereiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 11.07.2022
Panorama internacional
Falas de Borrell indicam 'transformação de opiniões' mundial sobre conflito na Ucrânia, diz analista
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала