Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

EUA anunciam novas embaixadas no Pacífico em meio a disputa por influência com China, diz mídia

© AFP 2022 / William WestKamala Harris, vice-presidente dos EUA, fala por videoconferência no Fórum das Ilhas do Pacífico (PIF, na sigla em inglês) em Suva, Ilhas Fiji, 13 de julho de 2022
Kamala Harris, vice-presidente dos EUA, fala por videoconferência no Fórum das Ilhas do Pacífico (PIF, na sigla em inglês) em Suva, Ilhas Fiji, 13 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 13.07.2022
Nos siga noTelegram
Os EUA anunciaram o estabelecimento de novas embaixadas no Kiribati e Tonga, em uma série de passos na região do Pacífico vistos como uma tentativa de conter a influência crescente da China na região, segundo The Guardian.
A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, fez o anúncio na terça-feira (12) enquanto os líderes da região se reuniam em Suva, Fiji, no Fórum das Ilhas do Pacífico.
Harris deve assistir ao encontro por videoconferência a convite do primeiro-ministro fijiano, Frank Bainimarama, "no que está sendo visto como um golpe para a China, que não se espera ter recebido um privilégio similar", nas palavras do autor do artigo.
Em seu discurso, a vice norte-americana anunciará um conjunto de medidas destinadas a restabelecer os EUA como parceiro significativo na região após décadas de declínio de sua influência. As medidas incluem, conforme relatos, a nomeação de um enviado presidencial especial ao Fórum das Ilhas do Pacífico, a triplicação da quantidade de dinheiro solicitada ao Congresso para o desenvolvimento econômico e resiliência dos oceanos até US$ 60 milhões (R$ 327 milhões) por ano por uma década, bem como a volta de voluntários do Corpo de Paz para Fiji, Tonga, Samoa e Vanuatu.

"Este marco reflete o compromisso robusto e crescente dos Estados Unidos com as Ilhas do Pacífico", diz o comunicado.

A dra. Anna Powles, especialista em geopolítica e estudos de segurança na Universidade Massey na Nova Zelândia, aponta, segundo a matéria do The Guardian, que o anúncio continha várias expressões "pela primeira vez", como o primeiro enviado estadunidense ao fórum e a primeira estratégia nacional dos EUA para as Ilhas do Pacífico, e foi uma tentativa de Washington de se apresentar como "parceiro de escolha do Pacífico".
Navio de guerra da China participa de exercício Aman no mar Arábico, ao largo de Karachi, Paquistão, 15 de fevereiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 28.06.2022
Panorama internacional
Austrália fortalecerá laços de defesa com nações do Pacífico em meio a tensões com China
Contudo, ela também disse que esses movimentos mostram que Washington admite que seu envolvimento na região tem sido inconsistente e pouco impactante nas últimas décadas.
"Os esforços dos EUA para redefinir suas relações com o Pacífico são impulsionados pelo reconhecimento de que eles estiveram ausentes de uma região com a qual têm laços profundos através dos Estados livremente associados e interesses profundos, tais como a pesca, bem como pelas preocupações estratégicas sobre o papel e a influência da China no Pacífico", opina a analista.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала