Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Tática dos EUA de manter influência no mar do Sul da China pioraria disputas na região, diz jornal

© AP Photo / Zha Chunming/XinhuaNavio chinês Huangshan, à esquerda, ao lado do navio antissubmarino russo Almirante Tributs
Navio chinês Huangshan, à esquerda, ao lado do navio antissubmarino russo Almirante Tributs - Sputnik Brasil, 1920, 11.07.2022
Nos siga noTelegram
Uma proposta de estratégia dos EUA para congregar as guardas costeiras e organizações de pesca dos países do Sudeste Asiático para combater Pequim no mar do Sul da China complicaria ainda mais as disputas territoriais nesta área, alertam observadores chineses.
Os comentários surgem após analistas e um grupo de pesquisa dos EUA aconselharem Washington a estabelecer uma nova estratégia regional de "contrainsugência marítima" com o objetivo de conter a expansão do território marítimo da China no mar rico em recursos naturais, sobre o qual vários países da região têm reivindicações.
Especialistas marítimos e de defesa chineses advertiram contra a nova estratégia proposta pelo Instituto Naval dos EUA (USNI, na sigla em inglês), que visa proteger a influência política americana na região e restringir a chamada milícia marítima da China.

"A participação da Guarda Costeira dos EUA na região tornará definitivamente a questão do mar do Sul da China mais complicada e até mesmo aumentará as tensões na região", disse um especialista em direito internacional de Pequim ao jornal South China Morning Post na condição de anonimato, notando que as forças da milícia marítima chinesa têm uma vantagem geopolítica sobre as contrapartes dos EUA.

Especialista em estudos do mar do Sul da China Zhang Mingliang, da Universidade de Jinan, opina que tal estrutura regional liderada pelos EUA provavelmente restringiria as operações da Guarda Costeira e milícia marítima chinesas na área.
"Uma vez que o mecanismo de reforço marítimo regional seja estabelecido, ele representará uma grande ameaça e desafio para as forças da milícia marítima chinesa", disse Zhang.
"As forças da Guarda Costeira e da milícia marítima da China são muito mais fortes e mais capazes do que as dos países do Sudeste Asiático. Mas essas forças marítimas regionais fracas e desorganizadas podem se tornar um mecanismo poderoso e unificado se os americanos vierem para liderá-las", acrescentou ele.
Soldados do Exército de Libertação Popular da China (ELP) (arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 04.07.2022
Panorama internacional
Pequim busca 'moldar o mundo' com ações no mar do Sul da China, diz ministro da Defesa australiano
Em uma série de artigos de pesquisa recentes do USNI, especialistas dos EUA debateram a ideia chamada por eles de "contrainsurgência marítima".
Muitos sugeriram que os Serviços Marítimos dos EUA – compostos por Marinha, Fuzileiros Navais e Guarda Costeira – e seus parceiros e aliados asiáticos desenvolvessem e implantassem uma estratégia para combater as "operações de insurgência marítima" conduzidas pelos guardas costeiros e milícia marítima chineses.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала