Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

EUA consideram reiniciar venda de armas ofensivas à Arábia Saudita, relata Reuters

© AFP 2022 / JONATHAN ERNSTSecretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o chanceler da Arábia Saudita, príncipe Faisal bin Farhan, durante reunião em Washington, 14 de outubro de 2021
Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o chanceler da Arábia Saudita, príncipe Faisal bin Farhan, durante reunião em Washington, 14 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 11.07.2022
Nos siga noTelegram
A Administração Biden está discutindo o possível reinício da venda de armas ofensivas à Arábia Saudita, relata a agência Reuters citando fontes familiarizadas com o assunto.
De acordo com as fontes, nos últimos meses, os funcionários sauditas têm exortado os EUA a abandonarem sua política de venda de armas exclusivamente defensivas a Riad.
Conforme relatos, as discussões deste assunto em Washington têm um caráter informal e estão na fase inicial. Um dos funcionários norte-americanos contou à Reuters que "no momento" não há quaisquer discussões sobre armas ofensivas em andamento com os sauditas.
Na opinião dos interlocutores, qualquer decisão final dependerá do progresso de Riad em direção ao fim da guerra no vizinho Iêmen.
Mesmo assim, enquanto o presidente Joe Biden está se preparando para a viagem ao Oriente Médio, ele sinalizou que deseja restabelecer as relações tensas com a Arábia Saudita, desejando também aumentar o fornecimento de petróleo a partir do golfo Pérsico, juntamente com laços mais estreitos com Israel para combater o Irã.
Foto de arquivo: o ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, príncipe Saud al-Faisal ao lado do então vice-presidente dos EUA, Joe Biden (centro), na base aérea de Riad, 27 de outubro de 2011 - Sputnik Brasil, 1920, 10.07.2022
Panorama internacional
Em meio às tensões geopolíticas e crise de energia, Biden tenta justificar viagem à Arábia Saudita
Biden, que como candidato presidencial denunciou a Arábia Saudita como um Estado "pária", suspendeu em fevereiro de 2021 o apoio dos EUA para operações ofensivas no Iêmen, incluindo "vendas de armas relevantes".
A Arábia Saudita, o maior cliente de armas norte-americanas, irritou-se com essas restrições, que congelaram as vendas de armas anteriormente autorizadas pelas administrações por décadas.
A abordagem de Biden atenuou-se desde o início da operação russa na Ucrânia, levando os Estados Unidos e outros países ocidentais a apelar à Arábia Saudita, o maior exportador de petróleo do mundo, para produzir mais petróleo e compensar a perda dos suprimentos russos.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала