Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ex-chanceler alemão Gerhard Schroeder defende solução diplomática para conflito na Ucrânia

© AP Photo / Markus SchreiberGerhard Schroeder, ex-chanceler da Alemanha (foto de arquivo)
Gerhard Schroeder, ex-chanceler da Alemanha (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 10.07.2022
Nos siga noTelegram
O ex-chanceler da Alemanha Gerhard Schroeder diz que não rejeitaria a possibilidade de conversas com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e defendeu abertamente uma solução diplomática para o conflito na Ucrânia.
As declarações do ex-chefe de governo alemão foram dadas em entrevista ao jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung neste domingo (10).
"Não abrirei mão de minhas oportunidades de negociar com o presidente Putin", disse Schroeder ao jornal.
O ex-chanceler acrescentou que não acredita em uma solução militar para o conflito na Ucrânia, ressaltando que as hostilidades só podem ser interrompidas por meio de negociações diplomáticas.
Soldados ucranianos instalam minas antitanque na floresta, Ucrânia, 14 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 10.07.2022
Panorama internacional
EUA e aliados são incapazes de manter nível atual de ajuda militar à Ucrânia, afirma New York Times
Na Alemanha, Schroeder é duramente criticado por ter laços estreitos com a Rússia.
Anteriormente, o Comitê de Orçamento do Bundestag (Parlamento alemão) aprovou um pedido dos partidos no poder para retirar do ex-chanceler alguns de seus privilégios em resposta à sua recusa inicial em deixar o cargo de presidente do conselho de administração da petrolífera russa Rosneft.
No fim de maio, Schroeder renunciou ao cargo de membro do conselho de administração da Rosneft em meio ao início do processo de sua expulsão do Partido Social Democrata da Alemanha e ao lançamento de uma investigação interna sobre as ligações de Schroeder com a Rússia.
A Rússia iniciou a operação militar especial na Ucrânia, em 24 de fevereiro, com o objetivo de "desmilitarizar" e "desnazificar" o país, após pedido de ajuda das repúblicas populares de Donetsk (RPD) e Lugansk (RPL) para combater ataques de tropas ucranianas.
Soldados ucranianos colocam obuseiro M777, entregue pelos EUA, em posição de combate - Sputnik Brasil, 1920, 09.07.2022
Panorama internacional
Com novo pacote milionário, ajuda militar dos EUA à Ucrânia já totaliza US$ 7,32 bilhões
A missão, segundo o Ministério da Defesa russo, tem como alvo apenas a infraestrutura militar da Ucrânia.
A Rússia denunciou repetidamente o fluxo contínuo de armas do Ocidente para a zona de conflito na Ucrânia, dizendo que isso joga gasolina no fogo e atrapalha as perspectivas do processo de negociação.
Além disso, as Forças Armadas da Rússia têm acusado militares ucranianos de usar "métodos terroristas" nos combates, como fazer civis de "escudo humano" e se alojar em construções não militares.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала