Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Na Indonésia, Wang diz a Blinken que direção dos laços EUA-China corre sério risco de 'desviar'

© AFP 2022 / STEFANI REYNOLDSO secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken (D), e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, participam de uma reunião em Nusa Dua, na ilha indonésia de Bali, em 9 de julho de 2022
O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken (D), e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, participam de uma reunião em Nusa Dua, na ilha indonésia de Bali, em 9 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 09.07.2022
Nos siga noTelegram
Para chefe da diplomacia chinesa, EUA sofrem cada vez mais de "chinofobia". Do lado norte-americano, secretário expressou preocupações com a relação amigável entre Pequim e Moscou e disse que uma ligação entre Biden e Xi Jinping pode acontecer em breve.
Neste sábado (9), o ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, e o secretário de Estado, Antony Blinken, se encontraram em Bali na Indonésia e sentaram na mesma mesa para discutir questões entre Washington e Pequim.
De acordo com a Reuters, Wang disse ao seu colega norte-americano que direção das relações EUA-China corre o risco de ser "desviada" devido a um problema de percepção dos estadunidenses perante os chineses.
"Muitas pessoas acreditam que os Estados Unidos estão sofrendo de um ataque cada vez mais sério de 'chinafobia'", afirmou o chanceler asiático.
Ao mesmo tempo, Wang declarou que disse que Washington deve cancelar as tarifas adicionais impostas a Pequim o mais rápido possível e cessar as sanções unilaterais às empresas chinesas, em uma troca que o comunicado caracterizou como "profunda" e "franca".
Além disso, o lado norte-americano deve ser cauteloso em suas palavras e ações quando se trata de Taipé e não deve enviar nenhum sinal errado às forças da "independência de Taiwan", reforçou o ministro chinês.
© AFP 2022 / Stefani ReynoldsO secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, participam de uma reunião em Nusa Dua, na ilha indonésia de Bali, em 9 de julho de 2022
O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, participam de uma reunião em Nusa Dua, na ilha indonésia de Bali, em 9 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 09.07.2022
O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, participam de uma reunião em Nusa Dua, na ilha indonésia de Bali, em 9 de julho de 2022
Do lado estadunidense, Blinken trouxe a preocupação dos EUA com o alinhamento entre China e Rússia.
"Eu compartilhei novamente com o conselheiro de Estado que estamos preocupados com o alinhamento da República da China com a Rússia", acrescentando que Pequim não está se comportando de maneira neutra uma vez que apoiou Moscou nas Nações Unidas e "amplificou a propaganda russa".
Além disso, o secretário de Estado norte-americano relembrou que o presidente chinês, Xi Jinping, deixou claro em uma ligação com o presidente russo, Vladimir Putin, em 13 de junho que ele defende a decisão de formar uma parceria com a Rússia.
Questionado sobre sua recusa em conversar com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, no G20, Blinken disse: "O problema é este: não vemos nenhum sinal de que a Rússia, neste momento, esteja preparada para se envolver em uma diplomacia significativa", relata a mídia.
O secretário de Estado também afirmou que os líderes Joe Biden e Xi Jinping devem falar novamente nas próximas semanas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала