Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Putin: restrições das sanções contra Rússia implicam grandes perdas para quem as impõe

© Sputnik / Mikhail KlementievPresidente russo Vladimir Putin durante reunião com ministros em formato virtual, 8 de julho de 2022
Presidente russo Vladimir Putin durante reunião com ministros em formato virtual, 8 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 08.07.2022
Nos siga noTelegram
Apesar das sanções sem precedentes, a situação no setor energético russo é estável e até está sendo registrado certo crescimento, disse o presidente russo Vladimir Putin durante reunião com o governo do país, nesta sexta-feira (8).

"Como se sabe, as empresas de energia russas são parceiras confiáveis e responsáveis. Ao mesmo tempo, devido aos apelos do Ocidente de abandonar os recursos energéticos russos, os mercados mundiais estão se agitando como antes", constatou o presidente.

Os europeus, nota Putin, estão tentando substituir o combustível da Rússia, mas isso provoca a alta nos preços de gás.
"Sim, nós sabemos que os europeus buscam substituir os recursos energéticos russos, porém o resultado de tais ações é esperado: é a alta nos preços no mercado spot e o aumento do custo dos combustíveis para consumidores finais, inclusive para as casas."
Tudo isso, de acordo com suas palavras, "demostra mais uma vez que as restrições das sanções em relação à Rússia implicam perdas maiores aos países que as impõem".
O posterior uso da política sancionatória pelo Ocidente pode resultar em consequências catastróficas no mercado energético global, na opinião do mandatário russo.
O presidente russo, Vladimir Putin, participa de uma reunião do Conselho Econômico Supremo da Eurásia, no Quirguistão, por meio de um link de vídeo no Kremlin, em Moscou, na Rússia, em 27 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 07.07.2022
Panorama internacional
Ocidente tenta impor 'liberalismo totalitário', mas países 'cansaram de se ajoelhar', diz Putin
Mesmo assim, ressaltou o chefe de Estado russo, as companhias energéticas russas devem se preparar para o embargo petrolífero da União Europeia.
Graças às ações do Banco Central e às medidas tomadas pelo gabinete dos ministros da Rússia, a "guerra-relâmpago" econômica do Ocidente contra o país fracassou, disse Vladimir Putin, mesmo tendo admitido que as sanções estão prejudicando a economia russa, com muitos riscos permanecendo.
Por isso, de acordo com suas palavras, as autoridades russas devem monitorar com muita atenção a situação atual, como se desenvolve, e propor e realizar a tempo as medidas que garantam a estabilidade da economia.
Acrescentou também que o setor energético russo deve elaborar planos de longo prazo, desenvolvendo exportações para leste e sul.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала