Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Membros do Departamento de Segurança Nacional dos EUA indiciados por suposta espionagem pró-chinesa

© AP Photo / Sarah SilbigerDepartamento de Justiça norte-americano em Washington, EUA, 12 de janeiro de 2021
Departamento de Justiça norte-americano em Washington, EUA, 12 de janeiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 08.07.2022
Nos siga noTelegram
Funcionários do Departamento de Segurança Nacional americano foram indiciados por um grande júri federal por suposto conluio com agentes chineses que perseguiam seus conterrâneos nos EUA.
Um grande júri federal dos EUA indiciou na quarta-feira (6) um funcionário atual e um ex-agente do Departamento de Segurança Nacional (DHS, na sigla em inglês) devido terem supostamente participado de um esquema para silenciar os críticos de Pequim, informou na quinta-feira (7) o Departamento de Justiça americano.
Segundo a acusação, Craig Miller e Derrick Taylor, agente aposentado do DHS, acessaram e forneceram a outros três réus informações sobre ativistas chineses usando um banco de dados restrito do governo, com os últimos dois depois usando os registros para "espionar, assediar e desacreditar" as vítimas.
Os promotores afirmaram que a campanha foi executada por Fan "Frank" Liu, Matthew Ziburis e Qiang "Jason" Sun, sendo que o último ainda estava em liberdade.
O professor de nanotecnologia da Universidade de Harvard Charles Lieber, acusado de mentir às autoridades norte-americanas sobre seus vínculos com um programa de recrutamento administrado pela China e o financiamento que supostamente recebeu do governo chinês para pesquisas, chega ao tribunal federal em Boston, Massachusetts, EUA, em dezembro 14 de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 22.12.2021
Panorama internacional
O que significa o julgamento de professor de Harvard na disputa pela hegemonia entre China e EUA?
Matthew Olsen, vice-procurador-geral de Segurança Nacional dos EUA, prometeu que ele e seus colegas "defenderão os direitos das pessoas nos Estados Unidos de se engajarem na liberdade de expressão e expressão política, incluindo opiniões que o governo da RPC [República Popular da China] quer silenciar".
"Segundo a acusação, estes indivíduos ajudaram agentes de um governo estrangeiro na tentativa de suprimir as vozes dissidentes que se refugiaram aqui. Os réus incluem dois oficiais juramentados da lei que escolheram abandonar seus juramentos e violar a lei", sublinhou Olsen.
O Departamento Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) dos EUA e a agência de inteligência britânica MI5 já disseram que Pequim estava "decidido a roubar tecnologia" para "minar os negócios e dominar o mercado", declarações que foram contrariadas por Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, que qualificou os EUA como "a maior ameaça à paz, estabilidade e desenvolvimento mundial".
"Instamos este funcionário dos EUA a ter a perspectiva correta, ver os desenvolvimentos da China de forma objetiva e razoável, e parar de espalhar mentiras e parar de fazer comentários irresponsáveis", disse Zhao, em referência a Christopher Wray, diretor do FBI, um dos autores das afirmações anti-chinesas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала