Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Irã nega alegação sobre apreensão de armas e acusa Reino Unido de ser 'cúmplice' na guerra do Iêmen

© AP Photo / Agência de Notícias Fars, Mahdi MarizadNavios de guerra da Marinha do Irã
Navios de guerra da Marinha do Irã - Sputnik Brasil, 1920, 08.07.2022
Nos siga noTelegram
Segundo Teerã, alegações do governo britânico são "infudadas" e afirma que Londres, ajuda, e muito, o conflito no Iêmen perdurar uma vez que vende armas para Arábia Saudita.
Ontem (7), o Reino Unido anunciou, pela primeira vez, que nos dias 28 de janeiro e 25 de fevereiro uma fragata da Marinha Real britânica apreendeu armas iranianas de lanchas operadas por contrabandistas em águas internacionais ao sul do Irã, conforme noticiado.
As armas apreendidas incluíam mísseis terra-ar e motores para mísseis de cruzeiro de ataque terrestre. Segundo o comunicado do governo britânico, "esta foi a primeira vez que um navio de guerra da Marinha britânica interditou um navio que transportava armas tão sofisticadas do Irã".
Ainda de acordo com o comunicado, as respectivas análises técnicas revelaram que o material bélico é do mesmo tipo de mísseis usados ​​pelos houthis do Iêmen para atacar alvos da Arábia Saudita.
URGENTE: No início de 2022, o navio HMS Montrose da Marinha Real do Reino Unido apreendeu armas do #Irã de lanchas operadas por contrabandistas. As armas apreendidas incluíam mísseis terra-ar e motores para mísseis de cruzeiro de ataque terrestre.

Nesta sexta-feira (8), Teerã rejeitou nesta a alegação britânica das apreensões e que elas seriam para o Iêmen.
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Nasser Kanani, disse que a decalração do Reino Unido era "infundada", acusando Londres de ser cúmplice na guerra no Iêmen, uma vez que as vendas anteriores de armas britânicas para a Arábia Saudita não lhe deram "autoridade moral para fazer uma reclamação contra a República Islâmica", disse o porta-voz citado pelo The Defense Post.
Garoto segura rifle durante ato do movimento houthi na capital do Iêmen, Sanaa, 30 de agosto de 2020 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 09.02.2021
Reino Unido não alinha com EUA na questão do Iêmen e mantém vendas de armas à Arábia Saudita
"Ao vender continuamente armas avançadas para a autoproclamada coalizão militar contra o povo indefeso do Iêmen, Londres tem sido parceiro na guerra e na agressão contra o Iêmen", continuou Kanani.
O governo britânico disse que o tipo de armamento encontrado nas lanchas foram disparados contra Abu Dhabi em janeiro, em um ataque que matou três civis.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала