Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Global Times: EUA não vão sair ilesos do 'ataque de precisão' contra China

© Mandel NganO presidente dos EUA, Joe Biden, encontra-se com o presidente da China, Xi Jinping, durante uma cúpula virtual na Sala Roosevelt da Casa Branca em Washington, DC, em 15 de novembro de 2021
O presidente dos EUA, Joe Biden, encontra-se com o presidente da China, Xi Jinping, durante uma cúpula virtual na Sala Roosevelt da Casa Branca em Washington, DC, em 15 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 07.07.2022
Nos siga noTelegram
O jornal Global Times divulgou um artigo afirmando que o governo Biden está aplicando as mesmas estratégias usadas contra a Rússia para tentar limitar os avanços militares e tecnológicos da China.
Os EUA estão cada vez mais pressionando e expandindo suas restrições de exportação para a China, tal como fizeram com a Rússia, já que os ambos os países se tornaram fortes concorrentes dos norte-americanos e estariam ameaçando a "soberania" dos EUA.
Além disso, segundo o jornal, recentemente, o chefe do Departamento de Comércio dos EUA declarou que o país precisa evitar que a China se desenvolva, principalmente na área tecnológica.
Washington deixou claro que segue unindo aliados e forças não apenas para impor sanções contra a Rússia, como também para visar o avanço chinês.
Conforme a mídia, os norte-americanos falaram abertamente que suas intenções são restringir as exportações de uma forma mais direcionada, ou seja, realizar um "ataque preciso" contra o gigante asiático.
Chanceler russo, Sergei Lavrov - Sputnik Brasil, 1920, 07.07.2022
Panorama internacional
Lavrov: enquanto EUA tentam conter, Rússia e China seguem ampliando cooperação estratégica
Isso também mostra que os esforços de Washington para prejudicar e conter seus "concorrentes", incluindo a China, não estão funcionando e estão se mostrando inúteis na guerra comercial lançada ainda por Trump contra a China.
Contudo, os norte-americanos não podem sair ilesos destas ações, pressões e ataques contra a economia de outros países, já que o povo americano começará a pagar pelas ações do governo de Biden, como já está ocorrendo, com uma inflação sem precedentes.
Este "ataque de precisão" de Washington não esconde sua natureza de contrariar a tendência geral de globalização econômica, contudo isso comprometerá o próprio país, pois os EUA não serão capazes de recuar completamente sem se prejudicar.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала