Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Forte candidato à chefia das Forças Armadas de Israel sugere assassinar líderes militares do Irã

© Thomas CoexO major-general do exército israelense Eyal Zamir, chefe do comando sul, observa enquanto está perto da fronteira Israel-Gaza no kibutz sul de Nahal Oz em 20 de abril de 2018
O major-general do exército israelense Eyal Zamir, chefe do comando sul, observa enquanto está perto da fronteira Israel-Gaza no kibutz sul de Nahal Oz em 20 de abril de 2018 - Sputnik Brasil, 1920, 06.07.2022
Nos siga noTelegram
Segundo militar, além de promover o assassinato de figuras-chave no corpo de membros do IRGC, danificar o centro operacional do órgão iraniano por ação secreta contra fábricas e bases operacionais e avançadas de mísseis e drones também seria uma medida de proteção para o Estado judeu.
Em um documento de 74 páginas intitulado "Contra a Estratégia Regional do Irã", o major-general Eyal Zamir, um dos principais candidatos a assumir o cargo de próximo chefe das Forças Armadas israelenses segundo o The Times of Israel, alertou que Teerã conseguiu estabelecer uma posição significativa na Síria e pediu mais assassinatos de oficiais militares iranianos para conter tais esforços.
"Algumas das milícias iranianas se baseiam em campos especiais na Síria e, no caso de uma campanha israelense contra o Hezbollah no Líbano, eles poderiam disparar mísseis das profundezas da Síria contra alvos israelenses", escreveu Zamir segundo a mídia.
De acordo com o militar e outras avaliações das Forças Armadas recentes, outras milícias iranianas baseadas na Síria se juntariam a uma potencial batalha ao lado do Hezbollah, não apenas com mísseis.
"Levaria relativamente pouco tempo para movê-los para a fronteira Síria-Israel para lutar nas Colinas de Golã e prender as Forças de Defesa de Israel [FDI], ou transferi-los para o Líbano para lutar ao lado do Hezbollah contra as FDI", disse Zamir.
Em sua visão, o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês) "é a espinha dorsal do regime e o principal meio pelo qual ele busca dominar a região", e listou várias maneiras pelas quais o Estado judeu e seus aliados poderiam conter os esforços do IRGC.
"Vise a liderança da organização, comandantes e agentes-chave que estão por trás do planejamento e execução de ataques terroristas e subversão; emita mandados de captura internacionais de indivíduos designados; e realize assassinatos direcionados contra indivíduos que planejam ataques [o modelo Soleimani]", disse o militar no relatório, referindo-se ao assassinato do chefe da Força Quds expedicionária do IRGC Qassem Soleimani em 2020.
Menino segura uma foto do general Qassem Soleimani, chefe da Força Quds do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês), morto em um ataque de drones dos EUA em Bagdá. - Sputnik Brasil, 1920, 23.04.2022
Panorama internacional
Irã diz que não abandonará planos de vingar assassinato de Soleimani mesmo se EUA retirarem sanções
Ao mesmo tempo, a autoridade israelense afirmou que mais ações devem ser tomadas para realizar ataques contra instalações iranianas, incluindo silos de mísseis e fábricas, bem como as defesas aéreas do Irã e suas linhas de abastecimento para seus representantes.
"Danifique o centro de gravidade operacional do IRGC – suas capacidades de ataque de longo alcance, como foguetes, mísseis e drones – por ação secreta contra fábricas e bases operacionais e avançadas de mísseis e drones, enquanto prepara um plano de ação para danificar a defesa iraniana", escreveu Zamir no relatório citado pela mídia.
O militar ainda disse que, embora a rota aérea tenha sido "interrompida em grau significativo", a rota marítima ainda estava "ativa" e o Irã usava regularmente navios-tanque para contrabandear armas e petróleo para a Síria, principalmente através do porto de Latakia.
Recentemente, o ministro da Defesa de Israel, Benny Gantz, revelou imagens de satélite mostrando quatro embarcações militares iranianas no mar Vermelho, conforme noticiado.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала