Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Greve de trabalhadores noruegueses de petróleo e gás pode acentuar crise de energia na Europa

© AFP 2022 / DANIEL SANNUM LAUTENUm contêiner é erguido por um guindaste na plataforma de gás Sleipner, a cerca de 250 km da costa da Noruega, no mar do Norte, 15 de maio de 2008
Um contêiner é erguido por um guindaste na plataforma de gás Sleipner, a cerca de 250 km da costa da Noruega, no mar do Norte, 15 de maio de 2008 - Sputnik Brasil, 1920, 05.07.2022
Nos siga noTelegram
Com a queda no fornecimento de energia vinda da Rússia para níveis mínimos devido a sanções, a relutância de alguns países em pagar pela energia em rublos e o desejo geral da União Europeia (UE) de romper com a energia russa, os suprimentos da Noruega estão se tornando cada vez mais importantes para a Europa em tempos de crise.
Os trabalhadores noruegueses de petróleo e gás da gigante estatal Equinor entraram em greve após exigirem aumentos salariais para compensar a inflação crescente, que atingiu 5,7% no início de maio, um nível nunca visto em décadas.
"A greve começou", declarou o líder sindical Audun Ingvartsen, depois que a maioria dos membros votou "não" a uma solução proposta pela Associação Norueguesa de Petróleo e Gás.
Até agora, 74 funcionários pararam seu trabalho nas plataformas Gudrun, Oserbeg Aust e Sor, que vão ter de ser fechadas. O conflito deve aumentar na próxima quarta-feira (6), quando 117 sindicalistas de Aasta Hansteen, Heidrun e Kristin vão se juntar à greve, levando as plataformas a encerrar sua produção.
Se nenhuma solução for alcançada entre as partes, a greve também vai atingir a partir de 9 de julho as plataformas Gullfaks A, Gullfaks C e Sleipner, que contam com cerca de 400 funcionários.
Tanque de gás em planta química em Oberhausen, na Alemanha, em 6 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 28.06.2022
Panorama internacional
Ministro da Energia dos Países Baixos adverte para efeito dominó na Europa devido à crise do gás
"Esta é uma greve abrangente", disse a chefe de organização e vida profissional em petróleo e gás norueguês, Elisabeth Brattebo Fenne, à emissora nacional NRK.
A greve deve reduzir em cerca de 13% a produção total de gás norueguês, enquanto a produção de petróleo vai diminuir em quase 7%, mas o governo da Noruega, por meio de comunicado, alega estar acompanhando de perto o conflito e ter o poder para parar a greve diante de circunstâncias excepcionais.
Os trabalhadores noruegueses entraram em greve em um momento de crise do setor, em que o petróleo e gás enfrentam uma alta de preços e os suprimentos de gás natural na Europa já estão escassos devido à queda nas exportações da Rússia desencadeada por sanções maciças da UE e do não atendimento por várias nações europeia da demanda de Moscou por pagamentos em rublos. Além disso, a estatal russa Gazprom reduziu o fornecimento através de seu maior oleoduto Nord Stream 1 (Corrente do Norte) em 60%, citando a interrupção da manutenção de equipamentos cruciais devido a sanções internacionais.
Em 2021, a Noruega forneceu um quarto da demanda de gás na UE e no Reino Unido e cerca de 8% de sua demanda de petróleo. Recentemente, Oslo afirmou que poderia substituir mais gás russo se a Europa se comprometesse a comprar. Portanto, se a greve continuar, isso poderia comprometer ainda mais o abastecimento de energia da Europa.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала