Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Mídia: Alemanha receia perder seu poder caso Ucrânia seja integrada à UE

© AFP 2022 / JOHN MACDOUGALLChanceler da Alemanha, Olaf Scholz, durante entrevista à emissora ARD em Berlim, 3 de julho de 2022
Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, durante entrevista à emissora ARD em Berlim, 3 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.07.2022
Nos siga noTelegram
Alemanha receia a possibilidade de sua influência dentro da UE se corroer se a Ucrânia se tornar um membro de pleno direito do bloco, relata o The Telegraph, citando uma fonte diplomática.
Olaf Scholz, chanceler alemão, teria discutido o assunto com os líderes da União Europeia em Bruxelas a portas fechadas. De acordo com a fonte do veículo, ele pediu uma revisão do sistema de tratados da UE antes de a candidatura ucraniana ser aprovada.
No centro da preocupação está o sistema de votação da UE que leva em conta o número de países que votam e suas populações, uma realidade que daria à Ucrânia uma forte alavanca dentro do bloco. Segundo uma análise do Instituto Alemão para os Assuntos Internacionais e da Segurança, se Kiev ingressar à UE, será o seu quinto maior membro, mas também o mais pobre.
Também é possível que Kiev junte seus esforços com a Polônia e outras nações do Leste Europeu e do Centro da Europa, a fim de afastar tais Estados-chave do bloco como Alemanha e França.
"Isso mudaria o equilíbrio de poder dentro da UE mais longe da Alemanha e da França para a Europa Central e Leste Europeu, onde os países, com os nórdicos, pela primeira vez se tornariam um bloco mais considerável em termos de poder de voto", constatou o dr. Nicolai von Ondarza, do instituto alemão.
Tendo isso em mente, o líder alemão supostamente visa modernizar o sistema de voto na UE de tal forma que proibiria o surgimento de várias coligações de poder dentro do bloco para obter fundos adicionais de seus vizinhos ricos da Europa Ocidental. De acordo com a mídia, Scholz também quer abandonar os vetos nacionais.
No final de junho, a União Europeia atribuiu à Ucrânia status de candidata, um passo amplamente considerado um gesto "simbólico" em meio ao conflito com a Rússia.
Primeiro-ministro belga Alexander De Croo na cúpula da União Europeia em Bruxelas, 22 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Panorama internacional
Bélgica crê que conflito na Ucrânia pode ser resolvido apenas no campo de batalha
O primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, ressaltou que o processo de adesão levará muitos anos de "reformas que serão muito difíceis e, para nós, é importantíssimo dar um forte sinal simbólico".
O presidente francês, Emmanuel Macron, também alertou Kiev que o ingresso à UE ainda pode estar a décadas de distância. O cronograma depende em grande parte da condição de a Ucrânia impor uma série de reformas econômicas, democráticas e anticorrupção.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала