Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Frustração da fabricante Boeing deveria servir de aprendizado para Biden, diz mídia chinesa

© AFP 2022 / DANIEL SLIMBoeing 737 da United Airlines decola do Aeroporto Internacional de Los Angeles (LAX) em Los Angeles, 16 de junho de 2022
Boeing 737 da United Airlines decola do Aeroporto Internacional de Los Angeles (LAX) em Los Angeles, 16 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 03.07.2022
Nos siga noTelegram
Diferenças geopolíticas entre China e EUA estariam prejudicando a exportação de aeronaves civis.
Na última sexta-feira (1º), a Boeing afirmou que "é decepcionante que as diferenças geopolíticas continuem a restringir as exportações de aeronaves dos EUA", se referindo aos acordos de quase 300 aeronaves entre a fabricante europeia Airbus e as companhias chinesas China Southern, Air China e China Eastern. Segundo a Reuters, a Boeing deve continuar insistindo no diálogo entre os governos dos EUA e da China.
O que está em jogo para a Boeing, neste momento, é a perda de uma fatia importante do mercado chinês para sua principal concorrente e, apesar de as decisões das companhias de aviação levarem em conta fatores econômicos, desempenho dos produtos, segurança e benefício, a empresa também culpa as relações estremecidas graças à guerra comercial iniciada ainda na gestão Trump. De acordo com o Global Times (GT), as suspeitas de envolvimento da Boeing em um recente grave evento de segurança na China também pesaram nas negociações.
A empresa norte-americana se vê como vítima do processo de contenção das relações entre China e EUA. A guerra comercial do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, prejudicou os negócios de ambos os lados, e Biden ainda não removeu as tarifas adicionais sobre produtos chineses, usando inclusive abordagens não comerciais para impactar o mercado.
O presidente dos EUA, Joe Biden, na cúpula da OTAN em Madri, na Espanha - Sputnik Brasil, 1920, 02.07.2022
Panorama internacional
Intenção da OTAN é transformar o bloco em instrumento estratégico dos EUA contra China, diz analista

Na semana passada, o Politico chegou a afirmar que "o campeão da UE Airbus tem ligações profundas com o complexo militar-industrial chinês".

Mesmo que os EUA continuem politizando questões comerciais, o governo chinês alega demonstrar continuidade ao compromisso com o livre comércio. Ainda segundo o GT, a Boeing se beneficiou enormemente do mercado chinês e ainda é um parceiro importante de muitas das principais companhias aéreas chinesas, e uma perspectiva geopolítica da cooperação em aviação civil entre China e UE não vai contribuir em nada para a expansão da participação da Boeing no mercado chinês, grande o suficiente para cooperar com diversos países.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала