Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Mesmo com 'cultura do cancelamento', arte russa é muito requisitada na Europa, afirma especialista

© Sputnik / Pavel LisitsynQuadro ""Cinza oval", pintado em 1917 por Vasily Kandinsky, um dos maiores artistas russos
Quadro Cinza oval, pintado em 1917 por Vasily Kandinsky, um dos maiores artistas russos  - Sputnik Brasil, 1920, 30.06.2022
Nos siga noTelegram
As obras de arte russas ainda são muito populares e atraem grande atenção em leilões na Europa, disse o vice-presidente da Conferência Internacional de Colecionadores, Antiquários e Comerciantes de Arte (ICAAD, na sigla em inglês), Mikhail Suslov, à Sputnik nesta nesta quinta-feira (30).
Em março, as casas de leilões de elite Sotheby's, Christie's e Bonhams cancelaram as vendas de arte russa em Londres programadas para junho, após a miríade de sanções ocidentais impostas contra a Rússia.
"Eles [Sotheby's, Christie's e Bonhams] apenas cancelaram os leilões temáticos russos, mas as peças de arte russas ainda estão sendo leiloadas. Elas são compradas com muito prazer na Europa. Agora há um leilão com ícones russos, que foram todos esgotados", disse Suslov, que também é negociante de arte e galerista, em entrevista ao Sputnik.
Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, participa de conferência sobre relações internacionais, em Moscou, na Rússia, em 14 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 27.05.2022
Panorama internacional
Lavrov: situação da russofobia ocidental sem precedentes durará muito tempo
Atualmente, a tendência da cultura do cancelamento está ganhando popularidade no Ocidente e existe o receio de que a Rússia possa ficar isolada do mercado internacional de arte.
Suslov disse que tal possibilidade existe em teoria, mas que é improvável na prática.
"Hipoteticamente, isso pode ser possível por um curto período de tempo. Eu não gostaria que isso acontecesse. Afinal, quando se trata de arte, é parte do patrimônio histórico mundial", acrescentou Suslov.
Em sua avaliação, os laços culturais não devem ser cortados; nem a Rússia, tampouco a Europa devem isolar as obras de arte umas das outras na esfera internacional, disse Suslov.
Pessoas agitam bandeiras russas durante concerto marcando oitavo aniversário da reintegração da Crimeia na Rússia no Estádio Luzhniki, Moscou, Rússia, 18 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.03.2022
Panorama internacional
No Ocidente progride discriminação contra tudo ligado à Rússia, diz Putin
Ao mesmo tempo, continuou o galerista, é bom que não haja exposições de arte russa em países estrangeiros no momento, porque o movimento de objetos culturais através das fronteiras nacionais, mesmo para estados vizinhos amigos, é acompanhado por altos riscos e problemas legais, acrescentou.
O negociante de arte segue otimista e acredita que a situação do mercado internacional em breve mudará e voltará ao normal.
O mais importante é que ainda há demanda intensa por arte russa no mundo, concluiu Suslov.
Manifestante segura cartaz que diz Sancione a Rússia! durante ato ao lado do Consulado ucraniano em Toronto, Canadá, 22 de fevereiro de 2022. - Sputnik Brasil, 1920, 24.03.2022
Notícias do Brasil
'Russofobia insuportável': como as sanções contra o Kremlin afetam as pessoas comuns no Brasil?
A Rússia iniciou sua operação militar especial na Ucrânia em 24 de fevereiro, com o objetivo de "desmilitarizar e desnazificar" o país vizinho, após as repúblicas populares de Donetsk (RPD) e Lugansk (RPL) pedirem ajuda para se defenderem da intensificação dos ataques ucranianos.
Segundo o Ministério da Defesa russo, somente a infraestrutura militar ucraniana está sendo visada. Moscou já reiterou, por diversas vezes, que não tem planos de ocupar o país.
Em retaliação à operação, os EUA, a União Europeia (UE) e seus aliados iniciaram a aplicação de sanções contra Moscou. Entre as medidas estão restrições econômicas às reservas internacionais russas e a suas exportações de petróleo, gás, aço e ferro.
A escalada de sanções impostas pelo Ocidente transformou a Rússia, de forma disparada, na nação mais sancionada do mundo, segundo a plataforma Castellum.ai, serviço de rastreamento de restrições econômicas no mundo.
No total, estão em vigor 10.920 medidas restritivas contra a Rússia, segundo os cálculos do site. A quantidade é mais que o triplo das 3.637 sanções impostas pelo Ocidente ao Irã. Na sequência, aparecem a Síria (2.614), a Coreia do Norte (2.111), Belarus (1.133), a Venezuela (651) e Mianmar (567).
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала