Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Índia e China podem frustrar plano do G7 contra petróleo russo, diz FT

CC BY 2.0 / Flickr.com / Rab Lawrence / Petroleiro (imagem referencial)
Petroleiro (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 30.06.2022
Nos siga noTelegram
A China e a Índia podem frustrar o plano do G7 de restringir o preço do petróleo russo ao disponibilizarem seus navios-tanque.
De acordo com o jornal Financial Times, tal permitirá a Moscou contornar as medidas tomadas pelos países do G7 e da União Europeia, já que contará com serviços de seguro e transporte.
O FT ainda ressalta que, se as cargas petrolíferas russas forem efetivamente banidas da maioria da frota mundial de navios-tanque, provavelmente a China e a Índia seguirão negociando com seus próprios navios.
Especialistas citados pelo FT acreditam que a ideia do G7 enfrentará grandes dificuldades, pois há poucas chances de estabelecer um preço baixo o suficiente para eliminar as receitas geradas pelo petróleo russo.
Petroleiro (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 28.06.2022
Panorama internacional
G7 quer proibir transporte marítimo de petróleo russo caso Moscou discorde de teto de preços
Um porta-voz da UE sugeriu que o mais difícil seria convencer um número suficiente de países e grandes seguradoras a apoiar o esquema proposto.
Anteriormente, Biden sugeriu que os EUA poderiam até tentar comprar um pouco de petróleo russo depois que o embargo europeu tivesse supostamente reduzido seu preço.
“Há muito debate sobre o que pode ser feito para talvez até comprar o petróleo, mas a um preço limitado", disse o presidente dos EUA quando perguntado sobre como planejava lidar com os preços recordes do gás.
No entanto, a Rússia colocou em dúvida o plano de Biden, com o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, insistindo que o país não venderia seu petróleo sem lucro.
"A demanda pode cair em um lugar e aumentar em outro. As cadeias de suprimentos serão reorientadas à medida que as partes buscarem as melhores condições para o comércio", disse Peskov.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала