Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Conflito na Ucrânia vai levar a maior dependência da União Europeia da OTAN, diz mídia

© AP Photo / Geert Vanden WijngaertMembro da equipe de protocolo ajusta as bandeiras dos Estados Unidos e da União Europeia (UE) antes da chegada de chanceleres para encontro, em Bruxelas, na Bélgica, em 4 de março de 2022 (foto de arquivo)
Membro da equipe de protocolo ajusta as bandeiras dos Estados Unidos e da União Europeia (UE) antes da chegada de chanceleres para encontro, em Bruxelas, na Bélgica, em 4 de março de 2022 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 30.06.2022
Nos siga noTelegram
A crise na Ucrânia vai levar a uma maior dependência da União Europeia da OTAN, escreve o jornal espanhol El País.

"[A situação na Ucrânia] pelo menos por enquanto, também vai enterrar os sonhos de autonomia estratégica que a União Europeia tem alimentado ao longo dos últimos anos [...] O novo cenário faz com que a União Europeia tenha de procurar um novo quadro de segurança, que a curto prazo só a OTAN e seu aliado principal, os Estados Unidos, podem oferecer", afirma o jornal.

A edição salienta que, tomando em conta a futura adesão da Finlândia e Suécia à aliança, 97% por cento da população da União Europeia passa a estar sob o "escudo militar e nuclear da OTAN".
Ao mesmo tempo, os "atritos" entre a UE e a OTAN são inevitáveis, como demonstra o fato de elas estarem há mais de seis meses tentando acordar uma declaração conjunta para atualizar as condições de sua coexistência.
Moscou tem destacado repetidamente que a aliança visa o confronto com a Rússia. Como salientou o porta-voz do presidente russo Dmitry Peskov, a futura expansão do bloco não trará mais segurança à Europa. No entanto, ele não considera a adesão da Suécia e Finlândia à aliança como uma ameaça existencial para Moscou. O presidente russo, Vladimir Putin, disse ainda que abandonar a política tradicional de neutralidade militar de Helsinque seria um erro, pois não há ameaças à Finlândia.
Caças sobrevoam bandeiras na sede da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) durante a cerimônia de cúpula da aliança, Bruxelas, 25 de maio de 2017 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Panorama internacional
Especialista explica diferença entre adesão à OTAN da Suécia, Finlândia e Ucrânia
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала