Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Conflito na Ucrânia é 'comédia' de Zelensky e comércio de armas dos EUA, diz ex-chefe da F1

© Sputnik / Aleksey Nikolskyi / Abrir o banco de imagensEx-chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone (à esquerda), e o presidente da Rússia, Vladimir Putin (à direita)
Ex-chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone (à esquerda), e o presidente da Rússia, Vladimir Putin (à direita) - Sputnik Brasil, 1920, 30.06.2022
Nos siga noTelegram
Em uma entrevista à emissora ITV, o ex-chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, afirmou que o presidente russo, Vladimir Putin, é uma pessoa de "primeira classe" e criticou as ações tomadas pelo líder ucraniano, Vladimir Zelensky.
Durante a entrevista, Ecclestone afirmou que não apoia o conflito na Ucrânia, mas que Putin fez o que acreditou ser o melhor para a Rússia.
"Eu levaria um tiro por ele." Bernie Ecclestone afirmou que o presidente ucraniano deveria escutar Putin e evitar a guerra, pois Putin "é uma pessoa razoável".
Além disso, ele ressaltou que o líder russo é um bom amigo e que ele "levaria um tiro por ele [Putin]".
"Eu não gostaria disso, mas se precisasse, eu levaria um tiro, pois ele é uma pessoa de primeira classe. E o que ele está fazendo é algo que ele acreditou ser o melhor para a Rússia", declarou.
O empresário britânico, de 91 anos de idade, culpou Zelensky por não se esforçar para evitar o conflito, e disse que ele é mais capacitado para ocupar cargos como ator e comediante.
"A outra pessoa na Ucrânia [Zelensky], sua profissão, pelo que entendi, era comediante, e parece que ele quer continuar nesta profissão [...]", afirmou o empresário, ressaltando que se Zelensky fosse capacitado, teria realizados todos os esforços para evitar a crise.
Ecclestone aproveitou a oportunidade para destacar os interesses norte-americanos que, segundo ele, estão ligados ao comércio de armas.
"Observe quantas vezes a América se moveu em diferentes países que não têm qualquer ligação com a América [...] Realmente, este é o comércio da América. Eles gostam de guerras, pois vendem muitos armamentos", enfatizou.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала