- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Governo escolhe Daniella Marques para substituir Pedro Guimarães na presidência da Caixa Econômica

© Foto / Ministério da Economia / Washington CostaDaniella Marques no Painel Telebrasil 2022 Summit, 28 de junho de 2022
Daniella Marques no Painel Telebrasil 2022 Summit, 28 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Nos siga noTelegram
Segundo ex-dirigentes, casos vieram à tona agora, mas os episódios de assédio já haviam sido transmitidos ao comando do banco através de canais de denúncia desde 2019. Eles ainda afirmam que a cúpula da Caixa sabia dos assédios e acobertou casos em troca de promoções internas.
Após Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica, ser alvo de acusações de assédio sexual relatadas por funcionárias do banco, o Palácio do Planalto decidiu mudar a chefia e escolheu Daniella Marques para ocupar o cargo, segundo a Folha de São Paulo.
Marques é secretária especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia e vinha liderando a agenda "Brasil Pra Elas". A secretária também é o braço direito do ministro Paulo Guedes na pasta.
A decisão ocorreu em uma reunião na manhã desta quarta-feira (29). A indicação de Marques também tem um toque de intenção eleitoral, a partir do momento que o público feminino é o que mais demonstra resistência a votar em Jair Bolsonaro (PL) no pleito deste ano.
© Foto / Alan Santos / Palácio do Planalto / CCBY 2.0Pedro Guimarães discursa em Belém (foto de arquivo)
Pedro Guimarães discursa em Belém (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Pedro Guimarães discursa em Belém (foto de arquivo)
Ainda está sendo definido como se dará a saída de Guimarães, já que, também nesta manhã (29), ele decidiu participar de um evento da Caixa, mesmo com as acusações e a pressão de aliados do presidente que queriam sua saída.
De acordo com a Folha, as acusações reveladas afirmam que ao menos cinco funcionárias do banco dizem ter sido vítimas de assédio sexual por parte de Guimarães. Em um dos relatos, uma delas diz que uma pessoa ligada ao presidente do banco perguntou o que faria "se o presidente" quisesse "transar com você?".
Uma funcionária da Caixa ouvida pela reportagem também relatou que foi assediada pelo presidente, ela declarou ter sido puxada pelo pescoço e ter ficado em choque após o episódio.
"Aí quando fui sair, ele me puxou pelo pescoço e disse: 'Estou com muita vontade de você'. Saí da sala, em choque e chorando. Depois, em outro momento, ele já passou a mão pela minha cintura e foi abaixando, mas saí antes que piorasse", contou a funcionária sob condição de anonimato.
Procurado pela Folha para comentar as denúncias, Guimarães não respondeu.
De acordo com o jornal O Globo, ex-dirigentes da Caixa que conversaram com o jornal disseram que o comando da instituição sabia dos assédio e acobertou casos até com promoções internas.
Segundo a mídia, os primeiros casos chegaram aos canais de denúncia do banco ainda em 2019, quando Guimarães assumiu a presidência, e que além de pressionar subordinados que testemunhavam os casos com demissão, o ainda atual chefe usava a proximidade com o presidente, Jair Bolsonaro, para garantir o silêncio dentro do banco.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала