Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Especialista explica diferença entre adesão à OTAN da Suécia, Finlândia e Ucrânia

© AFP 2022 / JUSTIN TALLISCaças sobrevoam bandeiras na sede da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) durante a cerimônia de cúpula da aliança, Bruxelas, 25 de maio de 2017
Caças sobrevoam bandeiras na sede da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) durante a cerimônia de cúpula da aliança, Bruxelas, 25 de maio de 2017 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Nos siga noTelegram
Há uma diferença entre a hipotética adesão à OTAN da Ucrânia e o ingresso ao bloco da Suécia e Finlândia que testemunhamos hoje, mas ambas as variantes são negativas para a Rússia, explica o membro correspondente da Academia de Ciências Militares da Rússia Aleksandr Bartosh.
Nesta quarta-feira (29), a OTAN convidou formalmente a Finlândia e a Suécia a aderirem à aliança durante a cúpula de Madri. Os membros da OTAN também concordaram em assinar o respetivo protocolo de adesão.

"A principal diferença é a situação geográfica destes países – em primeiro lugar. Além disso, as possiblidades de criarem ameaças para a Rússia também são diferentes – agora, depois de três meses da operação militar especial na Ucrânia, essas possibilidades diminuíram, mas potencialmente vão ser bastante altas. A Ucrânia possui uma infraestrutura industrial desenvolvida, recursos naturais, população numerosa, acesso ao mar Negro, a fronteira que a Ucrânia partilha com a Rússia é mais longa", afirmou Bartosh em uma conversa com a Sputnik.

Ainda assim, a adesão da Suécia e Finlândia à OTAN que testemunhamos hoje e um ingresso hipotético da Ucrânia ao bloco são acontecimentos que agravam a situação internacional e criam ameaças adicionais para a Rússia.
O analista também enumerou as possíveis consequências para a Rússia da adesão da Suécia e Finlândia à OTAN.

"Este acontecimento cria ameaças adicionais para a Rússia. A Rússia e a Finlândia partilham uma fronteira de cerca de 1,2 mil quilômetros – a Rússia terá de instalar lá forças adicionais, isso custa dinheiro."

Bartosh acrescentou que a adesão à aliança da Suécia e Finlândia dá à OTAN mais possibilidades de controlar o mar Báltico, o que vai afetar de forma negativa as capacidades da Marinha russa e exigirá que a Rússia aloque recursos adicionais para garantir a segurança na região.
Para concluir, o analista afirmou que a situação cria dificuldades adicionais em relação à segurança do Ártico, onde a OTAN, segundo Bartosh, deseja penetrar.
Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg (no centro), durante coletiva de imprensa junto com o chanceler da Finlândia, Pekka Haavisto (à esquerda), e a da Suécia, Ann Linde (à direita), Bruxelas, 24 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Panorama internacional
Finlândia e Suécia são oficialmente convidadas a aderirem à OTAN
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала