- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Alexandre de Moraes pede que PGR se manifeste sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

© Folhapress / Pedro LadeiraEm Brasília, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, participa de reunião, em 21 de março de 2019
Em Brasília, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, participa de reunião, em 21 de março de 2019 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Nos siga noTelegram
PF apura o favorecimento de pastores na distribuição de verbas do MEC. Movimento do ministro do Supremo era esperado, uma vez que Milton Ribeiro disse ter sido informado por Bolsonaro sobre possibilidade de ser alvo de buscas.
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifeste sobre um pedido para investigar o presidente Jair Bolsonaro (PL). A questão gira ao entorno de sua suposta interferência do presidente na Polícia Federal (PF), durante as investigações sobre o esquema de corrupção no Ministério da Educação (MEC).
A investigação da PF apura um esquema de corrupção que favorecia dois pastores em uma espécie de "bancada de negócios" que atuava na distribuição de verbas do MEC em troca de propina. O ex-ministro da pasta, Milton Ribeiro e os pastores denunciados foram presos na quarta-feira (22) da semana passada e soltos no dia seguinte, por uma decisão da Justiça.
Após a divulgação de uma interceptação telefônica feita pela PF, no dia 9 de junho, o caso tomou novas proporções. Na gravação, Ribeiro diz a uma filha que Bolsonaro havia lhe relatado um "pressentimento" de que o ex-ministro poderia ser usado para atingi-lo, e fala inclusive da possibilidade de ser alvo de busca e apreensão, como de fato foi, dias depois.
O líder da oposição, Randolfe Rodrigues (REDE- AP), após a divulgação do conteúdo da intercepção telefônica, encaminhou pedido de "medidas cabíveis" ao STF para investigar a suposta interferência de Boslonaro. O senador afirmou em seu pedido que há indícios de "suposta nova interferência do Presidente da República JAIR BOLSONARO na Polícia Federal".
Requerimento de criação da CPI do Ministério da Educação, destinada a investigar denúncias de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação (MEC), é protocolado na Secretaria-Geral da Mesa do Senado, em 28 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 28.06.2022
Notícias do Brasil
Oposição protocola no Senado pedido para abertura da 'CPI do MEC' ante supostos casos de corrupção
O ministro Alexandre de Moraes analisou o pedido e se manifestou dizendo que caberia à PGR decidir se há elementos para abrir uma investigação formal contra Bolsonaro, encaminhando o pedido.
De acordo com o G1, esse é o terceiro pedido que o STF envia para a PGR avaliar se há indícios contra Bolsonaro no escândalo de corrupção do MEC. Os outros dois pedidos enviados pelos deputados federais Reginaldo Lopes (PT-MG) e Israel Batista (PSB-DF) já foram encaminhados à procuradoria pela ministra Cármen Lúcia.
O advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, afirmou à imprensa que Bolsonaro "não interferiu na PF" e que não tem "nada a ver com essas gravações".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала