Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

OTAN deve parar de criar 'inimigos imaginários' e fazer declarações falsas contra China, diz Pequim

© AP Photo / Andy WongO porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, durante briefing diário no escritório do Ministério das Relações Exteriores em Pequim, 24 de fevereiro de 2020
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, durante briefing diário no escritório do Ministério das Relações Exteriores em Pequim, 24 de fevereiro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 28.06.2022
Nos siga noTelegram
A OTAN deve acabar com suas declarações provocativas contra a China, afirmou na terça-feira (28) durante uma coletiva de imprensa o representante oficial do MRE chinês Zhao Lijian, ao comentar as informações da mídia sobre os planos da aliança de chamar a China de "desafio sistemático" em seu novo conceito estratégico.
Anteriormente, a agência Bloomberg, referindo-se a suas fontes, comunicou que em seu novo conceito estratégico a OTAN chamaria a China de "desafio sistemático" e destacaria o fortalecimento da cooperação entre Pequim e Moscou.
"Exigimos que a OTAN acabe imediatamente com a divulgação de declarações falsas e provocativas contra a China", disse o diplomata.
Zhao Lijian afirmou que a OTAN é "um instrumento através do qual certos países mantêm sua hegemonia", criando com esse objetivo "inimigos imaginários".

"Sendo um produto da Guerra Fria e a maior aliança militar no mundo, a OTAN tem seguido há muito tempo conceitos de segurança obsoletos. A aliança se tornou há muito tempo um instrumento através do qual certos países mantêm sua hegemonia", afirmou.

O presidente chinês, Xi Jinping, durante negociações por videoconferência com o presidente russo, Vladimir Putin (fora da foto) - Sputnik Brasil, 1920, 22.06.2022
Panorama internacional
Crise ucraniana demonstra que expansão de blocos militares agrava conflitos, diz líder chinês
O diplomata apelou à OTAN para rejeitar a mentalidade da Guerra Fria, o jogo de soma zero e a busca de inimigos imaginários. Ele salientou que a OTAN já "provocou o caos" na Europa e acrescentou que não era preciso "provocar o caos" também na Ásia e em outras regiões do mundo.
Espera-se que no novo documento sejam anunciadas preocupações relacionadas com a China em tais áreas como cibersegurança, desinformação, controle sobre infraestruturas críticas e respeito pela ordem internacional. A Bloomberg lembra que a versão anterior do conceito, aprovada em 2010, não continha nenhumas referências sobre a China. Além disso, a Rússia era nomeada "parceira" da aliança.
Anteriormente foi comunicado que os líderes da OTAN aprovariam em Madri um conceito estratégico renovado para o período até o ano de 2030. O secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg afirmou que no novo conceito a Rússia seria chamada de "ameaça principal à segurança coletiva".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала