- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Oposição protocola no Senado pedido para abertura da 'CPI do MEC' ante supostos casos de corrupção

© Foto / Pedro FranзaRequerimento de criação da CPI do Ministério da Educação, destinada a investigar denúncias de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação (MEC), é protocolado na Secretaria-Geral da Mesa do Senado, em 28 de junho de 2022
Requerimento de criação da CPI do Ministério da Educação, destinada a investigar denúncias de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação (MEC), é protocolado na Secretaria-Geral da Mesa do Senado, em 28 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 28.06.2022
Nos siga noTelegram
Para criação de uma CPI na Casa, são necessárias no mínimo 27 assinaturas, até o momento, a oposição ao governo Bolsonaro coletou 31, quatro a mais do que o previsto.
Nesta terça-feira (28), o senador Randolfe Rodrigues (Rede) protocolou o pedido para criação de uma CPI destinada a investigar as denúncias de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação (MEC), segundo o G1.
Entretanto, para que a ação tenha continuidade, é preciso que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), faça a leitura do documento em plenário. Para que uma Comissão Parlamentar de Inquérito seja validada, pelo menos 27 senadores precisam assinar o pedido, até o momento 31 parlamentares assinaram.
Em março, um áudio vazou na mídia com o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, declarando que, a pedido do presidente, Jair Bolsonaro (PL), o governo federal dá prioridade de liberação de verbas do MEC a prefeituras cuja negociação fosse feita por dois pastores evangélicos sem cargo no Executivo, nomeadamente Gilmar Santos e Arilton Moura, conforme noticiado.
Presidente da República, Jair Bolsonaro acompanhado do Ministro da Educação, Milton Ribeiro durante assinatura da portaria que estabelece o novo piso salarial para os professores da educação básica pública, 4 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.06.2022
Notícias do Brasil
Apreensão nos bastidores: aliados de Bolsonaro articulam estratégias para abafar caso Ribeiro
Com o escândalo, Ribeiro decidiu pedir demissão do cargo no dia 28 de março e o caso ficou menos em vista. Com isso, as investigações saíram do STF e foram para a Justiça Federal em Brasília. O juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal, entendeu que, soltos, Ribeiro e os pastores poderiam interferir nas investigações e, por isso, determinou a prisão dos pastores e do ex-ministro no dia 22 de junho.
Em seguida, chegou à mídia outro áudio de Ribeiro dizendo que o presidente o ligou no dia 9 de junho "pressentindo" que a PF cumpriria um mandado de busca e apreensão em sua residência, confirmando, de certa forma, que pode ter havido corrupção durante sua gestão na pasta.
No entanto, no dia 23 de junho, o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, com sede em Brasília, mandou soltar o ex-ministro.
Em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (à esquerda) posa ao lado do ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante cerimônia em 22 de outubro de 2020. - Sputnik Brasil, 1920, 22.03.2022
Notícias do Brasil
Em áudio, ministro da Educação diz que favorece pastores evangélicos por ordem de Bolsonaro
Para aliados de Bolsonaro, o caso vem no pior momento, uma vez que enfraquece a campanha eleitoral do presidente que é baseada no argumento de que não há corrupção no seu governo.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала