Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Chanceler do Reino Unido prioriza apoio à Ucrânia em vez do alcance rápido da paz

© AP Photo / Mídia AssociadaA secretária de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Liz Truss, fala durante uma entrevista coletiva conjunta em Vilnius, Lituânia, 3 de março de 2022
A secretária de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Liz Truss, fala durante uma entrevista coletiva conjunta em Vilnius, Lituânia, 3 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 28.06.2022
Nos siga noTelegram
A secretária de Relações Exteriores britânica afirma que é preciso fornecer à Ucrânia todo o apoio possível e apela para não tentar alcançar a paz o mais rápido possível, pois isso implicaria concessões territoriais por parte de Kiev.

"Antes de mais nada, devemos fornecer à Ucrânia todo o apoio possível. Se a Ucrânia não vencer, as consequências para o resto da Europa serão muito sérias", disse Truss em uma entrevista ao jornal alemão Welt.

Segundo Truss, os países do Ocidente têm que apoiar Kiev em vez de tentar chegar à paz o mais rápido possível, pois isso implicaria concessões territoriais da Ucrânia.
A secretária também destacou que, em resposta à situação na Ucrânia, a OTAN devia aumentar sua presença na região, bem como dar-lhe um caráter "mais permanente". "Acho que isso é muito importante", Truss afirmou.
Da esquerda para a direita: o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, o chanceler alemão Olaf Scholz, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ao lado do presidente dos EUA, Joe Biden, se dirigem para o local da foto oficial dos líderes na Cúpula do G7, em Elmau, sul da Alemanha, 26 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 26.06.2022
Panorama internacional
Em reunião do G7, líderes concordam em apoiar Kiev indefinidamente, diz mídia
A Rússia iniciou a operação militar especial na Ucrânia em 24 de fevereiro. O presidente russo, Vladimir Putin, declarou que seu objetivo era "salvar as pessoas que ao longo de oito anos têm sofrido genocídio por parte do regime de Kiev". De acordo com o Ministério da Defesa russo, o objetivo principal da operação é a libertação de Donbass.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала