Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

No G7, Argentina pede 'fim do colonialismo' britânico sobre as Ilhas Malvinas

© Sergei KarpukhinO presidente argentino, Alberto Fernández, escuta uma questão durante coletiva de imprensa ao lado do presidente russo, Vladimir Putin, após encontro bilateral no Kremlin, em Moscou, 3 de fevereiro de 2022
O presidente argentino, Alberto Fernández, escuta uma questão durante coletiva de imprensa ao lado do presidente russo, Vladimir Putin, após encontro bilateral no Kremlin, em Moscou, 3 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 27.06.2022
Nos siga noTelegram
O presidente argentino, Alberto Fernández, realizou uma reunião de meia hora com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, sobre a necessidade de Londres retomar o diálogo sobre a soberania das Ilhas Malvinas.
O chefe de Estado argentino esclareceu que não avançará em acordos de alimentação ou gás com os britânicos se não houver diálogo sobre as Malvinas.
A Argentina quer retomar as negociações com o Reino Unido sobre a soberania das ilhas, reivindicada pelo país sul-americano, embora o governo britânico ocupe o território desde 1833.
Esse ponto foi o tema principal da reunião bilateral que Alberto Fernández realizou com Boris Johnson durante a última cúpula do G7, em Munique, na Alemanha.
O presidente Alberto Fernández teve um encontro bilateral com o primeiro-ministro Boris Johnson, a quem exigiu que cumprisse as resoluções das Nações Unidas para encontrar uma solução negociada para a disputa de soberania sobre as Ilhas Malvinas.
Segundo o governo argentino, a conversa entre os dois serviu para Fernández destacar "o compromisso inabalável da Argentina com a paz, o fim do colonialismo e a validade do direito internacional".
Homem segura bandeira da Argentina com uma mensagem dizendo: Nós voltaremos!, durante aniversário do conflito nas ilhas Malvinas entre Reino Unido e Argentina - Sputnik Brasil, 1920, 21.06.2022
Panorama internacional
Argentina reivindicará direitos sobre ilhas Malvinas na ONU
Fernandez pediu a Johnson que o Reino Unido aceitasse a restauração de voos regulares entre as Ilhas Malvinas e a Argentina operados por uma linha argentina.
O presidente argentino foi firme em sua ideia de que para avançar em um acordo econômico bilateral é necessário que Londres concorde em retomar as negociações sobre as ilhas, como exigido pela Organização das Nações Unidas (ONU).
"Não há como avançar na relação se não houver progresso na discussão da soberania. Espero que eles reajam e mudem a maneira como lidam com essas questões", disse Fernández em entrevista coletiva após a reunião.
Pessoas perante o monumento às ilhas Malvinas, Tierra del Fuego, Argentina (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 14.06.2022
Panorama internacional
Dados desclassificados mostram interesse do Reino Unido em petróleo por trás da Guerra das Malvinas
Para os britânicos, entretanto, a questão da soberania sobre as Malvinas está "fechada há 40 anos", quando ocorreu a Guerra das Malvinas.
O Comitê Especial de Descolonização da ONU, por outro lado, ainda trata o assunto como resquícios do "colonialismo que deve ser resolvido por meio do diálogo" entre as partes.
A posição argentina também foi defendida pelo ministro das Relações Exteriores argentino, Santiago Cafiero.
O ministro divulgou uma foto dele cumprimentando Johnson e observando que "a Argentina está pronta para retomar o diálogo e as negociações com o Reino Unido sobre a questão da soberania sobre as Malvinas, de acordo com as resoluções das Nações Unidas".
A Argentina está disposta a retomar o diálogo e as negociações com o Reino Unido sobre a questão da soberania sobre as Malvinas, de acordo com as resoluções das Nações Unidas. // A Argentina está comprometida com a paz, o fim do colonialismo e a validade do direito internacional
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала